“A Barraca do Beijo” um filme sobre fraternidade e amor proibido

Sabe aquele tipo de amizade que desejamos viver? Que compartilham segredos, sonhos, medos e os melhores momentos que vivem juntos, ainda mais quando essa amizade é do sexo oposto. Então é o caso do filme “A Barraca do Beijo”.

Conta a história de dois melhores amigos Elle (Joey King) e Lee (Joel Courtney), ambos nasceram no mesmo dia e na mesma hora (circunstâncias que só acontecem em filmes), suas mães são melhores amigas dês de sempre, de certa forma os dois acabam crescendo juntos e assim ser tornando melhores amigos. Melhor dizendo, eles são inseparáveis, praticamente irmãos, um não sabe viver sem o outro. E durante a infância os dois criaram uma lista de regras, essas que vão sendo citadas ao longo do filme.

A história acontece em uma daquelas típicas escolas norte-americanas. Temos aquele personagem obrigatório, como o garoto mais popular do colégio, Noah (Jacob Elordi), é o irmão mais velho de Lee, o garoto mais desejado da escola, o quarterback do time, e um brigalhão; uma das coisas não desenvolvidas no filme é a questão da raiva que o personagem sente às vezes, deixando até seu irmão com medo dele, mas fora isso, vemos que o garanhão Noah tem um coração meigo quando se fala da jovem Elle – parecendo algo mais fraternal; que sempre teve um queda por ele. Mas o que antes não passava de uma paixão platônica de infância se transforma em algo mais, porém, ficar com Noah está fora de cogitação, já que isso infringiria uma das regras mais importantes da amizade, a de número 9, que dizia que parentes estavam fora de cogitação. Não que Noah fosse querer alguma coisa com Elle (será?), afinal, o cara vivia implicando com ela.

Com a escola preparando uma feira de arrecadação de fundos, Elle e Lee teriam que criar algo novo e surpreendente para arrecadar muito dinheiro e nada melhor que uma Barraca do Beijo para isso. Para fazer da proposta um sucesso, a garota tenta convencer o galã Noah, a participar da brincadeira, já que o trio de garotas populares só aceitariam participar da barraca se o garanhão estivesse lá, e com essa nova missão em mãos, Elle terá que convencer Noah a aceitar participar. Ele mostra-se irredutível, mas os dois acabam se aproximando como nunca, o que pode estremece a amizade de Elle e Lee. A barraca acaba sendo um sucesso, a melhor atração do evento, o que deixa Elle muito satisfeita. E aquele dia tão bacana ainda lhe reservava muitas surpresas…

“A Barraca do Beijo” é um filme clichê, porém, foi bem executado pelo diretor, ele trabalhou o elenco de uma tal maneira que trouxe frescor para este enredo tão batido. Tudo foi conduzido muito bem e o filme possui a dose certa de comédia romântica; os atores são cativantes e conseguem te fazer rir e se emocionar com cada momento, um filme ótimo para ver e rever sempre que quiser. A fotografia do filme é linda e a trilha sonora muito boa. Para quem curte filmes desse gênero a Netflix acertou em cheio!

Veja o trailer:


Para quem não sabe o filme é baseado no livro “The Kissing Booth” da escritora Beth Reekles, que será lançado esse mês no Brasil pela editora Astral Cultural. A sequência do livro deve ser publicada ainda este ano e a autora já está dando indícios de que pode haver uma outra adaptação.

Agora eu é que quero saber de vocês: alguém também já assistiu “A Barraca do Beijo” e gostou? Contem o que vocês acharam do filme nos comentários do post e se quiserem, deixem sugestões legais de filme pra eu assistir lá no Netflix.

Seis séries para quem ama o mundo da moda

Ei, amantes do mundo da moda! Você é interessada por todos os assuntos relacionados a este tema, nada melhor do boas inspirações, né? Aliás, nada melhor do que bons seriados sobre tudo relacionado ao assunto. Por isso, selecionei seis séries que vai te ensinar a ter mais estilo e expandir ainda mais o seu conhecimento sobre a moda. Talvez tem alguma que você já andar assistindo, o post vai te ajudar, para que você consiga priorizar algumas na sua listinha ou então descobrir a nova série na qual se apegar. Se você está apaixonado pelo mundo da moda – sim, você precisar assistir uma dessas para se tornar uma super mestre da moda. Vem ver?

  • Gossip Girl

Este drama adolescente é um dos favoritos, a série gira em torno da vida de alguns jovens em Nova York. O enredo principal é que Gossip Girl, é um blog de confrontos, amor e conflitos familiares desses jovens milionários de Elite Young. Além da rotina de moda que aparece brevemente em algumas temporadas por meio do trabalho da mãe de Blair, diretora criativa de uma marca. O cenário é Manhattan, compras e muitas festas na vida de luxo das meninas do Upper East Side.

  • Sex and the City

Esta série da década de 90 que se tornou um clássico é baseada no livro de Candace Burhnell. Pode ser considerada uma comédia sobre a vida e os amores de quatro bons amigos: Carrie, Charlotte, Miranda e Samantha. O enredo é muito bom, com problemas que todas as meninas têm. Sem mencionar que eles falam sobre o mundo da moda de forma excepcional.

  • The Carrie Diaries

É a história da adolescência de Carrie Bradshaw de Sex and the City nos anos 80. O cenário ainda é Nova York e mostra as aventuras de Carrie na descoberta da sexualidade e da carreira, com figurinos inspiradores que mostram a influência de moda na vida da protagonista desde jovem.

  • Girlboss

As ruas de Los Angeles nunca mais foram as mesmas depois que Sophia Amoruso pisou nelas. A estilista, fundadora da Marca Natsy Gail, publicou em 2014 uma autobiografia e anos depois conquistou o publico com a série GirlBoss. Sua vida nunca foi fácil: sem emprego e prestes a ser despejada de casa, a fashionista encontra nos brechós sua grande paixão pela moda e passa a comprar peças, customizá-las e vende-las no Ebay e, a partir daí, descobre sua grande paixão. E nos mostra que também podemos ser líderes do nosso tempo, economia e vida sem depender de ninguém.

  • America’s Next Top Model

A série comandada pela top model Tyra Banks começou em 2003 e teve 22 temporadas até 2015. O reality retrata a disputa entre jovens que sonham em ser modelo e almejam o contrato com uma renomada agência, o prêmio principal. A roupa, a maquiagem e o estilo existem como aulas para todos os amantes da moda.

  • Atelier

A série, produzida em parceria com a televisão japonesa, conta a história de Mayuko, uma jovem estudante recém-formada  que começa a trabalhar em uma exigente empresa de lingerie. Mayuko não entende NADA de moda e acaba sendo tirada de tonta pela chefe Mayumi Nanjo (a Miranda Priestly da série). A iniciante acaba passando por uns apuros e a força de vontade para melhorar acaba chamando a atenção da chefe. Logo em seguida, ela percebe que precisará de muita ajuda para sobreviver o dia a dia em seu novo emprego. E a série mostra bastante como o ramo pode ser difícil de entrar e é cheio de intrigas.

Gostou das dicas? E você, tem mais séries que está na sua listinha para dividir com a gente, deixe-a aqui nos comentários!

Para compartilhar: Estrelinha é a nova integrante das Meninas SuperPoderosas

Quem aí também cresceu assistindo As Meninas Superpoderosas? Florzinha, Docinho e Lindinha, mas agora, não são mais três! O Cartoon Network anunciou que as irmãs ganharão uma nova companheira. Pois bem, acabaram dando detalhes sobre a nova personagem, a Estrelinha! Na versão inglesa, ela se chama Bliss e é dublada pela cantora Toya Delazy.

Negra e de cabelo azul, ela foi criada acidentalmente pelo Professor Utônio antes mesmo da criação de Florzinha, Lindinha e Docinho. Só que ela acabou desaparecendo misteriosamente e agora, adolescente, ela volta para ajudar as irmãs a combater o crime na cidade de Townsville!

Estrelinha terá o poder de incorporar as qualidades de suas três irmãs, podendo voar, se teletransportar e ainda usar a superforça. Ela vai aparecer pela primeira vez no especial As Meninas Superpoderosas: O Poder das Quatro, que será dividido em cinco episódios.

As Meninas Superpoderosas: O Poder das Quatro vai ao ar no dia 19 de outubro, às 19h30, no Cartoon Network Brasil.

E aí, gostaram da quarta integrante? É tão bom ver desenhos que crescemos assistindo mostrando a diversidade, né? É uma ação de representatividade da animação, que, no ano passado, começou a também trazer lições de igualdade de gênero. Já estou ansiosa para assistir esse novo ep, e você? Conta pra gente nos comentários o que achou! \o/

Filme da semana: Bonequinha de Luxo

Sabe quando você navegava pelos catálogos da Netflix procurando algo novo para assistir? Uma série diferente? Um documentário, talvez? Ou um filme clássico que nunca assisti e precisava ver? Bem, a minha escolha foi um clássico dos clássicos. Acho que poucas pessoas já assistiram, mas com certeza já ouvir falar em “Bonequinha de Luxo”.

Na maioria dos casos, as pessoas conhecem a história pela sua icônica versão cinematográfica, estrelada pela DIVA e lendária Audrey Hepburn, para em seguida descobrirem que na verdade, o conto nova-iorquino foi primeiramente um livro escritor por Truman Capotecom, e o seu título original “Breakfast at Tiffany’s”.

Vamos a história?

O filme começa com Holly Golightly (Audrey Hepburn) vestindo um Givenchy e tomando seu café da manhã em frente à joalheria Tiffany’s, para esquecer de sua vida. No longa, Holly é uma garota de programa de luxo nova-iorquina, mas transmite uma forma ingênua, delicada, sonhadora e dócil. Não enxergamos com malícia o que ela quer mostrar, ao contrário, imediatamente o seu jeito nos cativa. Que está decidida a casar-se com um milionário. Perdida entre a inocência, ambição e futilidade. Seus planos mudam quando conhece Paul Varjak (George Peppard), um jovem escritor bancado pela amante que se torna seu vizinho. Apesar do interesse em Paul, Holly reluta em se entregar a um amor que contraria seus objetivos de tornar-se rica. Então, Holly passa a viver um impasse em sua vida: continua a sua busca por um marido rico ou se entrega ao vizinho que se apaixonou?!

O clássico quebra os paradigmas da mulher tradicional, que não quer ser apenas uma dona de casa, mas também possui sonhos e vontades de ser livre. Explora a relação dos protagonistas de uma forma atípica para época, pois mostra que os homens também são sensíveis quando o assunto é amor. Romântico e com cenas de comédia sutis, o longa dribla os resquícios de censura que restavam no cinema americano. Além do elenco, a trilha sonora deliciosa e o figurino impecável também chamam atenção.

Além das cenas que se imortalizaram no cinema, como a que Holly sai à procura de seu gato na chuva e a inesquecível canção na janela onde ela canta “Moon River”, que é tema do filme, interpretada por Hepburn, é quando Paul entende a natureza ingênua e sonhadora de Holly, que somente quer uma vida mais bonita de se viver.

Quantas estrelas o filme merece? 5 estrelinhas. Sim, eu amei muito! Dá de dez em muitas dessas comédias românticas que temos por aí -, pois marcou o cinema, a moda e a música. Mesmo trazendo críticas importantes sobre a sociedade e a moralidade que impulsiona a vida, tem uma fotografia ímpar e um humor leve, capturando o expectador. Fiquei com muita vontade de abraçá-la e ter uma conversa de amiga. É um filme antigo, mas faz você se sentir vivendo naquela época. É uma obra bastante bonito de se ver.

Recomendo especialmente pra quem adora comedia romântica, leve e também divertida. Agora eu é que quero saber de vocês: alguém também já assistiu “Bonequinha de Luxo?” e adorou? Contem o que vocês acharam do filme nos comentários do post! Se ainda não assistiu, já pode correr para Netflix.

Girl power: filmes de empoderamento da minha infância

Na minha infância não se falava muito de empoderamento feminino – para falar a verdade esse tema começou a ser discutido de alguns anos para cá! Ainda bem, né?! Porém, esses dias atrás eu comecei a pensar que o empoderamento feminino sempre esteve presente na minha vida. Sim, principalmente nos filmes, a parte incrível de ter crescido no começo dos anos 2000 é que eu tive a oportunidade de ver, quando ainda era criança, filmes adolescentes e comédias românticas com protagonistas legais! Essas garotas mostraram que eu não tinha que seguir estereótipos e, por conta disso, acabaram inspirando uma geração de garota. Elas não vai ser a representação perfeita ou um resumo do feminismo, mas todos tem um quê de girl power! 

  • Mulan

Mulan é uma das minhas princesas favoritas! Uma heroína que resolveu ir no lugar do pai para lutar na guerra. Ela sabia que não era fisicamente tão forte (ainda haha) quanto os outros soldados, então ela usou sua mente fantástica para encontrar outras formas de completar o treinamento. Ela sabia que dependia dela, e só dela, provar que era capaz. E ela conseguiu. Mulan poderia ter desistido facilmente. Ninguém acreditava nela. Ninguém levava ela a sério. Mas ela não desistiu.  Isso é algo que todos almejam, e Mulan nos inspira a continuar almejando. Ela é mais do que um simples desenho — ela é uma verdadeira guerreira.

  • Ela é o Cara

Quem na infância não foi proibida de fazer “coisas de garotos”? Na época do ensino fundamental, as meninas não podiam jogar futebol, então, eu e as minhas colegas de classe fizemos um abaixa assinado com assinaturas dos pais. E o filme “Ela é o Cara”, que fez a gente ver que não poderíamos aceitar tais regras do colégio. Aliás, a história é de Viola, joga no time feminino de sua escola, mas descobre que a equipe será fechada e deixará de existir, para a sua infelicidade. Em uma situação com poucas soluções, finge ser o irmão para poder jogar e vive uma vida dupla. Ela mostrar que precisamos lutar pelo que sonhamos.

  • Meninas Malvadas 

“Chamar alguém de gordo não vai te deixar mais magro, chamar alguém de burro não vai te deixar mais inteligente.” Uma história de padrões e como nenhuma garota se encaixa perfeitamente neles. Nós podemos tentar, mas, no final das contas, as pessoas são diferentes e aceitar isso é importante. Uma mensagem que eu precisei ouvir na minha infância.

  • As Patricinhas de Beverly Hills

Cher talvez seja a primeira personagem do cinema a ter uma verdadeira squad – e, quem sabe, se tornou a inspiração de Taylor Swift por causa disso. Ao lado de Dionne e Tai, ela faz o possível para lidar com a imaturidade dos garotos do colégio e os ônus e bônus de ser uma garota rica de Beverly Hills. Cher Horowitz não liga pros haters, pra garotos pegajosos nem pra quem acha que ela é burra.

  • Legalmente Loira

Estrelado por Reese Witherspoon, Legalmente Loira conta a história de Elle Woods, uma loira super popular que foi dispensada pelo namorado, que a achava fútil demais. Para provar seu valor para o ex e reconquistá-lo, ela se matrícula na Universidade de Direito de Harvard, porém – conforme vai entrando no mundo da advocacia – ela percebe que não precisa provar nada para ninguém.

  • 10 Coisas que Eu Odeio em Você

E, para finalizar, com um dos clássicos do cinema! Nos traz algumas visões de ideais feministas, principalmente através de Kat, personagem interpretada por Julia. Kat Stratford representa a rebelião, tanto em termos de estilo quanto em sua existência. Ela não é o que as pessoas esperam que ela seja. Ela arranca pôsteres do baile de formatura das paredes da escola, feminista e não liga para o que seus colegas de escola pensam a seu respeito.

Terminei esse post com vontade de assistir de novo todos esses filmes! Até porque, te inspirações de girl power nunca é demais! E aí? Também se identificou com algum desses filmes? Contem pra gente o que acharam nos comentários? Beijos e you go girl! <3

Seis curtas super fofos para este Dia dos Namorados

Gosta de curtas metragens? São produções de menores durações, mas que são tão poderosos como os longas, ou até mais. Com  histórias divertidas, emocionantes e mensagens reflexivas, que vai fazer você querer assistir cada um deles. E como amanhã é o dia dos namorados, esse post foi feito especialmente para os apaixonados de plantão, também para quem está solteiro mais apreciar histórias lindas de amor. Uma listinha com seis curtas super fofos e apaixonantes. Confira!

  • In a Heartbeat

É um curta de animação que foi dirigido por Beth David e Esteban Bravo, que, com alguns minutinhos tem a seguinte história: um garoto gay corre o risco de sair do armário por causa de seu próprio coração, que sai literalmente do seu peito para ir atrás do menino de seus sonhos! Que coisa mais fofa! Mas, nem tudo são flores, o curta só foi disponibilizado o trailer. De acordo com Beth e Esteban, “In a Heartbeat” será disponibilizado na internet de graça agora no meio do ano, mas ainda sem data definida. Vamos ficar aguardando! <3

  • How Unexpected

É um curta feito Sara Kim que conta a história de um casal de jovens que sempre se encontram no ponto de ônibus e acontece coisas inexplicáveis. A partir disso, mostra ele se precavendo das situações inusitadas que acontece. Aliás, a história tem um desfecho bem fofinho.

  • Wallflower Tango

O Wallflower Tango é a história de Charlotte, que mostrar que não é são as pedras preciosas que a tornam atraente, mas antes a pessoa que é por dentro. Kalle, o ladrão, engaja numa luta com ela ao tentar roubar-lhe o precioso diamante. A luta acaba por transformar-se num tango apaixonado e a beleza desta mulher vai-se transformando também e vai crescendo cada vez mais nos braços do Kalle, acabando por esquecer o seu propósito, fazendo dessa animação algo muito cativante.

  • Print Your Gu

Em Print Your Guy, Pâmela vive sozinha em um apartamento em Paris. Uma noite, enquanto assistia a um filme, ela vê um comercial para uma empresa que afirma poder imprimir seu cara perfeito, iniciando sessão no printyourguy.com. Muito excitada, ela corre para seu computador para encomendar uma, mas quando ela chega, ela percebe que o produto não era exatamente o que ela esperava!

  • On The Same Page

Um escritor introvertido em um mundo de jornais, não tem nada para escrever, até que, ele seja girado para uma jornada colorida com seu vizinho da seção cômica. Depois disso, várias coisas acontecem!

  • A Love Story

A rede de restaurantes Chipotle apresenta curta-metragem de animação, chamado “A Love Story“, criado pela CAA. O curta começa com duas crianças, uma menina vendendo limonada e um garoto, suco de laranja. No momento em que o jovem Ivan viu Evie, era o amor, então a rivalidade, à primeira vista. É embalado por uma versão da música “I Want It That Way“, da boy band The Backstreet Boys, e foi dirigido por Saschka Unseld, ex-Pixar. Tenho certeza que você irá amar essa coisa linda! <3

As fotografias dos vídeos são todas tão incríveis, né? E claro, a trilha sonora também é sempre um detalhe em especial e que deixa tudo mais emocionante! E aí, curtiu os curtas que selecionei? Já tinha assistido algum desses ou tem mais algum outro para recomendar pra gente? Compartilhar com a gente nos comentários!

Das páginas para as telas: filmes baseados em livros que deram certo

Tem algo que eu gosto muito é vê o meu livro favorito se transformando em um filme incrível! É tão legal, você ficar imaginando os personagens e depois os atores escolhidos são bem parecidos do que você fantasiou, ou ás vezes, não. Mas, o mais importante é atuação, né? 😛 Sei, que muitas vezes o filme deixar a desejar, já que o livro sempre é mais cheio de detalhes e que algumas passagens não estarão presentes nas telonas dos cinemas. O engraçado é que alguns filmes acaba me surpreendendo tanto quanto ou até mais que os livros nos quais foram inspirados. Por isso, gosto quando as artes se misturam. Muitas vezes, o resultado pode ser incrível e foi o que aconteceu comigo e assistindo a esses filmes. Vem ver:

  • A Menina que Roubava Livros

O filme é baseado no best-seller do autor Markus Zusak e já vendeu milhões de cópias ao redor do mundo. O filme se passa durante a Segunda Guerra Mundial e narra à história de uma jovem garota chamada Liesel, que sobrevive fora de Munique através dos livros que ela rouba. Ajudada por seu pai adotivo, ela aprende a ler e partilhar livros com seus vizinhos, incluindo um homem judeu que vive na clandestinidade.

  • Um dia

Baseado no livro de David Nicholls – que se tornou um best-seller mundial – “Um Dia” mostra a vida de um casal (interpretado por Anne Hathaway e Jim Sturgess) que se conhece em sua formatura, no dia 15 de julho. Então, pelos próximos 20 anos, eles se encontram sempre na mesma data. Muitas coisas acontece com esses dois, viu?

  • O Lado Bom da Vida

Esse filme foi inspirado no livro de Matthew Quick, que leva o mesmo título do filme. Por conta de algumas atitudes erradas que deixaram as pessoas de seu trabalho assustadas, Pat Solitano Jr. (Bradley Cooper) perdeu quase tudo na vida: sua casa, o emprego e o casamento. Depois de passar um tempo internado em um sanatório, ele acaba saindo de lá para voltar a morar com os pais. Decidido a reconstruir sua vida, ele acredita ser possível passar por cima de todos os problemas do passado recente e até reconquistar a ex-esposa. Embora seu temperamento ainda inspire cuidados, um casal amigo o convida para jantar e nesta noite ele conhece Tiffany (Jennifer Lawrence), uma mulher também problemática que poderá provocar mudanças significativas em seus planos futuros.

  • Marley & Eu

É uma história real escrita pelo jornalista John Grohan. No filme John (Owen Wilson) e Jenny (Jennifer Aniston) resolvem adotar um cachorro. Marley, como é batizado o labrador, se revela um cão bagunceiro e incorrigível, mas também um grande companheiro da família durante toda a sua vida.

  • As Vantagens de Ser Invisível 

Uma história escrita e dirigida para as telonas do cinema pelo, Stephen Chbosky. Na história, Charlie (Logan) tem um relacionamento conturbado com sua família e está se recuperando de depressão. O garoto se sente tão isolado que se corresponde por cartas anônimas com uma pessoa. Mas tudo muda quando ele chega ao novo colégio e conhece Sam (Emma) e Patrick (interpretado pelo fofo Ezra Miller). Juntos o trio passará por várias descobertas. Tem dramas sobre a primeira vez, envolvimento com drogas e desilusão amorosa. Ao longo do filme Charlie ainda se apaixona pela Sam. É impossível não se amar a história.

  • Querido John

Foi baseado no livro de Nichollas Sparks, onde um jovem soldado, John (Channing Tatum), tira licença do trabalho e conhece a jovem Savannah (Amanda Seyfried). Quando ele precisa voltar ao exército, o casal de namorados passa a ser corresponder por cartas. Claro, o livro tem mais detalhes, mas o filme conseguiu ser bem fiel a história

  • O Diabo Veste Prada

É um livro best-seller, escrito por Lauren Weisberger. Ganhou uma adaptação cinematográfica de mesmo título em 2006. Conta a história de Andrea Sachs (Anne Hathaway), uma garota do interior recém-saída da faculdade, que consegue o emprego que seria o sonho de consumo de milhões de mulheres. é contratada como assistente de Miranda Priestly (Meryl Streep), lendária editora da revista Runway. Mas é aí que começa seu real pesadelo, pois sua chefe é um verdadeiro demônio. Além de fazer toda a sociedade nova-iorquina temê-la por seu poder de erguer ou destruir uma carreira, transforma a vida de seus subordinados em um verdadeiro inferno, exigindo as tarefas mais absurdas 24 horas por dia.

  • Na Natureza Selvagem

No livro “Na natureza selvagem” lançado em 1996, o autor, Jon Krakauer refaz a trajetória de Chris McCandless. Em 2007 é lançado o filme homônimo, dirigido por Sean Penn. Início da década de 90, Christopher McCandless (Emile Hirsch) é um jovem recém-formado, que decide viajar sem rumo pelos Estados Unidos em busca da liberdade. Durante sua jornada pela Dakota do Sul, Arizona e Califórnia ele conhece pessoas que mudam sua vida, assim como sua presença também modifica as delas. Até que, após dois anos na estrada, Christopher decide fazer a maior das viagens e partir rumo ao Alasca. Como é inspirador em uma história real, é ainda mais interessante.

Desta vez a listinha ficou bastante variada, né? Lembrando que, já teve um post aqui no blog de filmes que foram inspirados em livros. Sim, são tantos livros que foram adaptados para o cinema que são incríveis, pretendo trazer no próximo post! E aí, já leu ou assistiu alguns desses? O que acharam?! Conta tudo nos comentários! 

Filme da semana: The Duff

Nada melhor que aproveita o feriado assistindo um bom filme, né? Já havia um bom tempo que estava precisando assistir novos filmes. Bom, lá estava eu procurando algo novo, até me deparar com um filme que desde quando foi lançado fiquei curiosa para ver. Aí eu me perguntei: “Por que demorei tanto para assistir esse filme?”. Graças aos comentários positivos da galera, decidi assistir e valeu muito a pena! <3

Vou começar falando sobre “D.U.F.F.: Você Conhece, Tem ou É”.

O filme é foi baseado no livro de romance do mesmo nome escrito por Kody Keplinger. Conta com a participação dos autores Mae Whitman, Robbie Amell e Bella Thorne. Por ser um filme de adolescente, a primeira coisa que você pode pensar é naqueles filmes clichês, com lideres de torcida e astros do futebol americano, mostrando a busca por popularidade feita pela maioria dos jovens. E… Duff não é bem assim.

Bianca, Jess e Cassie são três amigas inseparáveis. Jess e Cassie são magras, altas e estão sempre por dentro do mundo da moda. Bianca é baixinha, não tem corpo de modelo e usar roupas largas, além de ser super irônica e engraçada. Ela nunca tinha percebido que todos na escola a tratavam diferente até que Wesley, seu vizinho e amigo de infância, conta que ela era vista como uma DUFF (Designated Ugly Fat Friend, que no filme é traduzido como Desengonçada, Útil, Feia e Fofa). Bianca fica arrasada, mas ela logo admite que Wes está certo. De impulso, ela descarrega sua raiva para fora em Jess e Casey, retirando-as das redes sociais e passando a andar sozinha.

O filme começa a fica ainda mais interessante: Bianca decide virar esse jogo e pede a ajuda de Wesley para ser finalmente o alvo de interesse e não a amiga feia. Como ele precisa passar em biologia, ele aceita ajudá-la e eles fazem um acordo. Acabar acontecendo muitas coisas em voltar desses dois personagens.

Depois de uma série de cenas engraçadas, de cyberbullying e de desilusões amorosas, Bianca finalmente toma uma decisão. Irritada com tudo que estava passando, ela se reúne com suas amigas, que sempre foram verdadeiras amigas para ela e que, juntamente com sua mãe compreendedora, a convencem a ir ao baile com elas. Chegando lá, agora confiante de si mesma, Bianca diz à uma garota (que sempre praticou bullying com ela) que te que devem ser fiéis às nossas próprias identidades.

Como deu para perceber, esse filme é perfeito para discutir a influência que a mídia tem sobre a vida das pessoas, principalmente dos jovens. São tantos disparos de informações sobre o jovem que ele acaba querendo seguir tanto as tendências e se esquece da sua essência, de sua real personalidade. O filme tenta exatamente “tirar as vendas” desse público, mostrando que não há nada de errado na sua personalidade.  Assim, o filme procura romper com todos esses “rótulos” e mostrar que: “Não importam o rótulo que te puseram, só você pode ser definir”. É uma das frases do filme.

Quantas estrelas o filme merece? 4 estrelinhas. Gostei muito, desejei poder voltar no tempo pra não tem me importado muito com a opinião das pessoas na época do colégio, e aproveitado ainda mais com as minhas amigas. Gostei de verdade! Recomendo especialmente pra quem adora comedia romântica, leve e também divertida. Pelo o trailer você já pode ver com o filme e vão entender o que tô falando.

E aí, alguém também já assistiu “The Duff?” e gostou? Contem o que vocês acharam do filme nos comentários do post! Aliás, tem lá no Netflix.

Filme assistido: Simplesmente Acontece

Sabe quando você está em um tédio total e não tem nada para fazer? Esses dias eu estava assim também! Em seguida, resolvi procurar um filme para assistir e me lembrei de que nunca tinha assistido (antes tarde do que nunca!), que é baseado em um livro – que fez e ainda continuar fazendo sucesso. Uma amizade de infância que se transformou em um grande amor. 

Sim, estou falando de “Love, Rosie” e na versão em português “Simplesmente Acontece”.

Onde tudo começar? O filme foi baseado no livro Simplesmente Acontece é a adaptação do sucesso literário Onde Terminam os Arco-íris  (recentemente foi relançado pela Novo Conceito com o título de Simplesmente Acontece), escrito por Cecelia Ahern, não posso esquece que ela também é autora de “P.S Eu te Amo”. Assim como no livro, o filme conta a história de Rosie, interpretada pela linda e talentosa Lily Collins e Alex, interpretado pelo incrível Sam Caflin.

Vamos a história? O filme começa de trás pra frente e Rosie está fazendo um discurso no casamento de seu amigo Alex. E como felicidade infinita não rende filmes interessantes é necessário que passem por turbulências antes do tão sonhado “felizes para sempre”. De forma geral, Rosie e Alex se conhecem desde a infância e, com isso, acabaram se apaixonando, mas não conseguem entender o que estavam sentindo. Vivem uma série de desencontros, mas o destino teima em mantê-los unidos. Ou seja: Poderia muito bem ser a simples história de dois jovens e seus altos e baixos até a vida adulta, mas é mais do que isso. Nós mostrar que não tem como planejar, esconder, tentar adiar ou adiantar alguma coisa. Ele irá acontecer no momento certo. Tem uma parte do filme que diz uma frase muito linda: “Eles eram amigos inseparáveis, sendo sempre separados.” O filme consiste nisso, nas idas e vindas do amor, dos acasos da vida, de um destino incerto, e dos dois amigos que sempre se atraíam, não importasse o que acontecesse.

Toda vez que eles se encontravam parecia que nada tinha mudado e é incrível como eles não pareciam notar esse amor. Acima de tudo, eles prezavam pela amizade e confiança. Fazendo se apaixonar pela história e torce pela felicidade dos personagens.

Agora eu consigo entender o título em português, que é tão diferente do original, porque faz muito sentido com a história do filme. O amor é isso, ele simplesmente acontece. Aliás, tem uma fotografia bem estilo Tumblr.

Quantas estrelinhas o filme merece? Você acha que vou classificar com simples estrelinha? Esse filme merece a lua, o sol e também a via láctea inteira! Nem tudo é perfeito, mas são pequenas coisas no filme que passar despercebido. Gostei tanto do filme, me senti tão íntima de Rosie e Alex, mesmo passando por tantas coisas, ainda continuavam seguindo em frente.

Não posso esquecer de dizer: que tem frases do filme que são incríveis. Pra quem ainda não viu e curte comédia romântica, com certeza, eu super recomendo! E aí, quem já assistiu ao filme: e o que achou? Conta tudo pra gente nos comentários!

Já assistiu o primeiro trailer de “A Bela e a Fera”, novo filme da Disney?

bela-e-a-fera-trailerUm dos maiores clássicos dos contos de fadas está prestes a ser tornar uma versão live action nas telonas e o primeiro trailer já pode ser assistido! <3 Foi lançado nesta segunda-feira (14) ao ar no  programa “Good Morning America”, o vídeo de A Bela e a Fera e o longa protagonizado por Emma Watson e Dan Stevens. E a Disney provou mais uma vez que sabe o que faz. A versão com atores parece ser extremamente fiel ao que os fãs viram no desenho. E, é claro, tem “aquela” maravilhosa trilha sonora. Está tudo muito LINDO! Já podemos surtar. Ok?

a-fera-e-a-belaO trailer dá pra ver, por exemplo, os detalhes do belo castelo, os personagens produzidos por computação gráfica (que está incrível) e todos os outros, como o vilão Gaston (Luke Evans). O vídeo destaca o relacionamento da camponesa Bella (Emma Watson) e do príncipe amaldiçoado (Dan Steven). Confere só!

Tudo muito lindo, né? É o figurino (apaixonada pelo vestido da Bella) e a fotografia, que está magnifica e cenas de tirar o fôlego. Provavelmente é o filme mais esperado de 2017. A Bela e a Fera, a versão do famoso desenho da Disney, o primeiro a ser indicado como melhor filme no Oscar,  vai chegar em março no dia 16 do ano que vem e até lá o feeling é: “Sentimentos são… ” <3?

a-bela-e-a-fera-trailerSem dúvidas é um dos meus contos favoritos! E aí, gostou do trailer? Também está querendo assistir? Conte tudo nos comentários!