Meu amor platônico

texto926Todos os dias eu passava pela aquela rua onde ele morava. Sempre nos encontrávamos. Eu gostava de passar por ali e encontrar com ele. Mesmo que fosse apenas para olhar só de longe. O cheiro do seu perfume ficava impregnado entre as vielas. Não sei direito o nome dele. Talvez seja, Zé ou José, era mais ou menos assim que as pessoas o cumprimentavam e, ele respondia todos com um lindo sorriso no rosto. Ele era fascinante e adorável. Era tudo tão encantador nele.

Quando nós nos encontrávamos sentia que nada conseguiria estraga meu dia. Contava as horas para pode encontrar com ele de novo. Saia correndo antes das 18 horas, e topava com ele entre aquelas vielas onde as pessoas iam e viam. Eu só queria pode dizer algo, mas não tinha coragem suficiente. Eu dormia todas as noites sentindo o cheiro do seu perfume, lembrando-se do seu sorriso, ouvindo a sua voz.

Eu o amava tanto mesmo não sabendo muito sobre ele. Como isso é possível? São coisas que ninguém vai conseguir explicar. Mas, eu sabia que ele era o meu amor platônico. Não era correspondido, que só existia nos meus pensamentos. Bem que eu desejava que fisese parte do meu mundo real. Eu não tinha coragem suficiente de dizer que eu o amava. O amor que eu sentia por ele é um amor á distância, que não se aproxima, não toca, não envolve, é feito de fantasias e de idealização.

Eu fazia planos da minha vida e incluía ele em cada um deles.

Quando em um dia como qualquer outro, tinha uma garota no seu portão, ele pegou umas rosas no seu jardim e deu para ela. Fiquei observando tudo de longe. Senti meu coração se quebrando em pedacinhos. Vi que os dois se amavam muito, isso me deu um nó no estômago. Meu corpo ficou êxtase, só queria sair correndo daquele lugar. Como se fosse uma despedida eu olhei para ele e sorrir. Os dois ficaram me olhando, e foi quando virei pra trás e dei um tchau para ele. Aquela foi a nossa última despedida – mesmo ele não sabendo.

Desejei do fundo do meu coração que ele fosse realmente feliz, mesmo eu não fazendo parte dessa felicidade.

O pra sempre, sempre acaba

texto46Eu jurei que teríamos um final feliz. Acreditei que viveríamos o nosso amor por toda vida. Imaginava eu e você fazendo juras de amor em frete ao mar e colocando nos nossos dedos alianças. Eu sonhava em morar de frente pro mar. E ter um cachorro e dois gatos. E ter três filhos. E foi assim acabei fazendo tantos planos para nossa vida que acabei me esquecendo. Esqueci que nem tudo é pra sempre, mesmo quando queremos. Tudo tem um fim, por mais que queremos eternizar aquele momento. Aquele dia. Ou aquele amor.

Todas aquelas suas juras de amor foram em vão. Você jurou que me amaria até quando seu coração deixasse de bater. Mandava-me flores, cartas e escriva em todas as redes sociais que me amava. Foram tantas declarações. E no final restou apenas uma grande decepção. Você me fez senti tão especial, que achei que você era diferente de todos os homens que existia na fase da terra.

Faz exatamente dois meses que você me enviou aquela mensagem terminando tudo. Senti-me como uma criança que faz um lindo castelo de areia. E vem um infeliz e destrói tudo. Criei expectativa demais. Em quem tinha amor de menos. No fundo eu sabia que um dia tudo iria acabar. Eu queria acreditar com a gente tudo seria diferente. Esqueci que não vivia em um conto de fadas onde o roteirista escrever e “viveram felizes pra sempre”. Bem que eu queria que minha vida fosse um roteiro. Pelo menos lá eu teria um “felizes”. Mas a minha história não vai pra o lado clichê dos filmes. A minha história é diferente igual de muitas pessoas que existe apenas o “viveram”, o felizes – para – sempre deixar para os contos de fadas.

Eu vi que por mais que eu quero que aquela pessoa permaneça na minha vida um dia ela tem que ir. Não adianta eu tentar impedir. Não adianta eu acorrenta para que fique. Você não me pertencia. Nem tudo me pertence. Nada nós pertence. Nem o amor que um dia alguém disse que sentia. E foi assim que eu aprendi, que todo começo tem que ter um fim.

Por que você deixou ela ir?

texto370Leia enquanto escuta:

Semana passada encontrei com ela moço. Estava jogando conversa fora com suas amigas em um barzinho qualquer. Ela conseguiu superar o fim do relacionamento de vocês. E agora você ta aí trancado nesse apartamento frio e revendo as fotos de vocês dois juntos. Dias atrás quem estava nessa fossa era ela. E você a deixou ir, por que não trancou as portas e jogou as chaves fora. Poderia ter feito tantas coisas e impedir que ela fosse embora desse apartamento. Mas não você fechou os olhos e fingiu que tudo que acontecia não era com você. Foi se divertir com seus amigos e curti a noitada. Enquanto você estava em alguma festinha qualquer. Ela se foi, naquele dia frio que chovia muito, e ela nem olhou para trás. Como sempre você foi covarde. Agora está  nesse quarto sozinho, sem ninguém para conversa. Você poderia ter desfeito todas aquelas caixas que estava no meio da sala.

Poderia te segurado nas mãos dela e não te soltado. Você poderia te abraçado e jamais deixado ela sair dos seus braços. Mas você a solto. E ela se foi. Igual um passarinho que está aprendendo a voar e está perdido tentando encontrar o seu lugar. Aliás, acho quem está perdido é você. Ela te ligava preocupada com o que você estava fazendo, e simplesmente não atendia nenhum dos seus telefonemas, e as cartas na escrivaninha que sempre ela deixava, e você não lia nenhuma delas. Poderia te deixado pelo menos uma pra ela, até se você escrevesse um simples “eu te amo” já deixaria ela muito feliz. Poderia te escrito um simples bilhete e colocado na geladeira. Todas ás vezes quando ela acordava, olhava para geladeira pra ver se você tinha escrito algo para ela, mas no fundo ela sempre sabia que você nunca lia nenhuma das cartas e muito menos deixava um bilhete. Você poderia te enviado rosas colombianas no trabalho dela. Poderia te levado café da manhã na sua cama. Poderia te feito uma serenata mexicana, qualquer coisa que demostrasse amor. Não precisava você comprar presentes caros para agradar. Até um simples anel de plástico se você desse para ela já deixaria ela muito contente. Você poderia ter feito ela se senti especial.

Talvez seja tarde pra se arrepender. Mas talvez pode se cedo para recomeçar. Não sei se ela um dia pode voltar, talvez ela pode apenas te perdoa. Mas deixar esse orgulho bobo de lado e ligar pra ela, ou mandar uma mensagem. Com certeza, ela vai desligar na sua cara. Se você a ama insista, persista, mas nunca desista. Só não consigo entender, se você a amar por que você deixou ela ir? Talvez esse seja o mistério do amor. Ele é indecifrável. Não se esqueça o tanto que você a fez sofrer. Você quebrou o que um dia ela considerava amor por você.

E quando você ficou doente ela cuidava de você, dava todos os seus remédios. E ficava preocupada com cada dor que você sentia. E quando você jogava futebol com seus amigos, ela estava na torcida, mesmo não entendo nada, estava ali para te ver feliz. E a vez que você discutiu, ela acabou te defendendo. Infelizmente você perdeu alguém que sempre quando você precisasse estaria onde for para te socorre. Perdeu uma grande amiga. Uma ótima conselheira. Perdeu uma grande admiradora. E o principal perdeu um grande amor. Todo mundo via o tanto que ela te amava, menos você, que só veio percebe o tanto que ela é importante depois que a perdeu. Então é assim, você precisou perde para ver o valor que ela tem. Pena que demorou você percebe que deixou ir embora alguém que tanto te amo.

Eu sei, que já é um pouco tarde para ser arrepende, mas envie as flores favoritas dela – caso você não lembre são rosas, e com um pequeno bilhete escrito “eu sinto muito a sua falta”.

Não me deixe ir

texto383Já se passava das quatro da manhã o avião estava quase decolando, se sentou-se do outro lado do avião ao meu lado um casal de namorados. A nostalgia tomou conta de mim, me lembrei de como nós dois eramos tão felizes e hoje estou aqui sentada nessa poltrona de avião sozinha. Indo embora para algum lugar do mundo pra esquecer que um dia eu te amei que um dia eu derramei lágrimas por você – como eu fui tolar, mas não mais, agora vou procurar o meu caminho, vou me redescobrir. Perdi muito tempo insistindo em algo que nunca existiu algo que eu acreditei que pudesse dar certo. Acho que você nunca vai achar uma garota boba que nem eu, mas não se preocupe aquela garota que você conheceu ela vai ficar aqui, onde que é o lugar dela, mas quando você me reencontrar (espero que isso não aconteça) em outro lugar não perca o seu tempo, ela ficou lá para trás, com o coração todo em pedaços, mas essa não, essa já superou a sua abstinência.

Saber todos os presentes que você me deu? Coloquei tudo dentro de uma caixa, e queimei tudo, tudinho, até os presentes mais caros, eu não quero nada que me levar recordar de você. E que faça me recordar desse amor, esse amor barato, ser é que um dia eu posso chamar de amor. Só quero levar daqui o que cabe na mala e no peito, o resto não me pertence mais – acho que nunca me pertenceu.

Odeio ficar viajando nos meus devaneio e imaginar que você pudesse vir atrás de mim, igual nos filmes, e fazer para o avião, e ser declarar dizendo que me amar e que não posso ir embora da sua vida. Sei que isso é apenas uma ilusão e que jamais vai acontecer, porque eu amei um covarde, e amei com toda intensidade. Vamos-me digar o que você sentiu por mim? Acho que nada, eu sei… Todos sabiam, até os meus pais! Mas eu queria fingir que você me amava!

O avião já está se partindo e a cidade ficando cada fez pequena, já está na hora de deixar tudo para trás, quando eu falo tudo – incluir principalmente você, agora irei começar escrever uma nova página (já que eu rasguei todas), e você não vai fazer parte, nem se fosse uma biografia da minha vida. Mas bem lá fundo, uma voz ecoar querendo gritar e pedir que você não me deixe ir, mas eu sei eu preciso me desligar de você. Já que você já fez questão de me esquecer. Mas nunca, jamais, encanto você viver, se esqueça que um dia você me teve em suas mãos, e me deixou ir…

Caso um dia me reencontrar finja que não me conheça, que nunca, nunquinha em toda sua vida me viu. Se precisar mude de calçada e desvie o olhar de mim, finja que eu sou uma estranha. Porque de hoje em diante você é um simples estranho para mim… Foi algo que eu tiver e que jamais vai fazer falta.

A descoberta do amor

tumblr_lkvxfbrFLo1qf6py6o1_400_large“[…] Quando criança, e depois adolescente, fui precoce em muitas coisas. Em sentir um ambiente, por exemplo, em apreender a atmosfera íntima de uma pessoa. Por outro lado, longe de precoce, estava em incrível atraso em relação a outras coisas importantes. Continuo, aliás, atrasada em muitos terrenos. Nada posso fazer: parece que há em mim um lado infantil que não cresce jamais.
Até mais que treze anos, por exemplo, eu estava em atraso quanto ao que os americanos chamam de fatos da vida. Essa expressão se refere à relação profunda de amor entre um homem e uma mulher, da qual nascem os filhos. […] Depois, com o decorrer de mais tempo, em vez de me sentir escandalizada pelo modo como uma mulher e um homem se unem, passei a achar esse modo de uma grande perfeição. E também de grande delicadeza. Já então eu me transformara numa mocinha alta, pensativa, rebelde, tudo misturado a bastante selvageria e muita timidez.
Antes de me reconciliar com o processo da vida, no entanto, sofri muito, o que poderia ter sido evitado se um adulto responsável se tivesse encarregado de me contar como era o amor. […] Porque o mais surpreendente é que, mesmo depois de saber de tudo, o mistério continuou intacto. Embora eu saiba que de uma planta brota uma flor, continuo surpreendida com os caminhos secretos da natureza. E se continuo até hoje com pudor não é porque ache vergonhoso, é por pudor apenas feminino.
Pois juro que a vida é bonita.”

                                                                                      Clarice Lispector