O amor chegar sem avisar

O amor bateu na porta. Corri para abrir. Ele entrou sem pedir licença e nem fazer barulho algum. Deixando um buquê de gérberas no centro de mesa. Sentou-se na poltrona de frente para a janela. Depois, ofereci um pouco de café. Ele acabou recusando. Sua presença fazia o meu coração acelerar e as minhas mãos suarem. Então a gente se encarar, como se acabássemos de nos conhecer. O mais assustado é que sempre esteve escondido em algum canto destas paredes. Em seguida, ele vai em direção à vitrola em cima da estante e colocar uma música romântica para tocar. Fecho meus olhos para sentir ainda mais aquela canção. O silêncio pairava na sala. A música tinha terminado e o amor havia ido embora.

Antes de partir, deixou borboletas voando por todos os cantos. Textos esparramados pela escrivaninha e uma paz dentro de mim.

O amor não vai aparece quando você estiver esperando. Ele é sorrateiro. Entra pelas frestas da janela ou qualquer lugar que puder. Nos deixa desorientada, sem rumo e com uma felicidade que não consegue explicar de onde vêm. Ele nos ensina a voar mais alto e segurar a nossa mão, para não cair. É recíproco. Não dói. Te faz se sentir em êxtase e você viajar em seus próprios devaneios. Consegui sentir isso!? É você fechar os olhos e mesmo com medo da escuridão, sabe que está seguro.

Por isso, que as histórias de amor fazem sentido. E o final feliz, não nada é clichê. Com o amor sua vida é mais colorida, o céu é ainda mais azul e as flores são ainda mais perfumadas. As estrelas vão está ainda mais brilhantes. Porque o amor sempre traz o melhor pra nos. Então mais uma vez, não tenha medo do amor, quando ele chegar. O abrace e convide-o para entrar. Dê preferência ofereça um chá.

Citações: Do lado de cá

Precisei atravessar um oceano, riscar meu corpo, colorir meus cabelos. Tive que abandonar seguranças e certezas, amigos e família. Deixei para trás emprego, casa, travesseiro, língua, lembranças e passados que não passavam. Deixei meus amores, tantos que me deixaram um buraco. Deixei minhas paixões, tolas, que só me fizeram ver que o buraco era eu.

Precisei me afastar de tudo o que eu amo para me amar, precisei mudar completamente o que eu sou pra me ser.

Aqui nessa cidade gelada, verde e cinza, planta e prédio, tantas pessoas de tantos lugares. Aqui onde posso confundir domingo e quinta-feira e gastar minha meias no chão de casa. Onde as horas são minhas e as escolhas também. São tantas as novidades todos os dias, novos rostos para novos começos. Tantas línguas e culturas. Tanta gente e tanta solidão.

O momento que era de fim se fantasiou de começo e me permitiu começar. O ano em que tudo acabaria sobreviveu e eu sobrevivi. A vida me chamou, bagunçou meu mundo, virou minha existência de cabeça para baixo, decapitou minha existência. O fim virou começo. E eu me permiti começar.

Sobre o autor: Verônica Heiss – também conhecida como Verônica H. – é um personagem ficcional (heterônimo) que surgiu em meados de 2005. Sua autora, de identidade desconhecida, nunca revelou muito sobre si. (…) Verônica surgiu como um escape, uma máscara. É justamente o fato da Verônica não ter uma idade, um local onde vive ou uma opinião absoluta que a torna um pouco de todos nós. Porque na verdade todos nós somos obrigados a negar as várias idades que temos: ora somos novos e imaturos, ora somos velhos e sábios, pertencemos a vários lugares e somos essa incrível contradição. Verônica veste contradição e sai na rua, é fácil se identificar ou se inspirar nisso.”

*Já tinha um bom tempo que não atualizava a tag “citações” com textos incríveis de autores brasileiros.

Por um amor recíproco

amor-recíprocoEla excluiu seu número do celular e apagou todas as mensagens que você havia enviado. Rasgou todas as fotos do mural de fotografias e deletou cada uma delas do Instagram. Desfez amizades com pessoas que os ligavam de alguma forma, somente para não ter nenhuma notícia sua. Ela quer começar uma nova fase na própria vida e você não está incluído, nesses novos planos. Consequentemente ela decidiu te esquecer, do mesmo jeito, que você sempre fazia questão de deixá-la de lado em sua vida. Sabe de uma coisa? Ela cansou de amar por dois.

Ela queria que você segurasse a mão dela perto dos seus amigos. Demostrasse mais afeto. A levasse para o lugar mais alto da cidade para ver o pôr-do-sol. Que curtissem mais momentos juntos. Preocupasse com seus medos e que fosse seu porto seguro. Desejou que se importasse mais com os sonhos que ela compartilhava com você. Confiava tanto em você que, acabou despindo a própria alma, em um amor de merda.

Você vai descobrir com o tempo que perdeu alguém que te amou de verdade. Uma pessoa extraordinária, pena que será tarde demais. Você vai a ver conhecendo outros caras, irá sentir como uma facada no peito, ainda mais quando ela te tratar com indiferença. Que para ela, você realmente deixou de fazer diferença. Ela quer ser feliz e não permitirá sofrer por mais nenhum amor vazio, ainda mais se for vindo de você, que feriu profundamente o que ela sentia.

Mais ela ainda continuar acreditando no amor, ainda mais quando vê histórias de casais que estão juntos quase a existência toda. Ela continua acreditando em cartas escritas a mão, declarações, histórias, loucuras, romances clichês e tudo que o amor pode envolver. E com você foi apenas uma chuva de verão.

Ela só quer um amor recíproco. Alguém que vai amá-la intensamente. Que irá partilhar cada um dos momentos que viver com ela. Vai ligar só para ouvir a sua voz e dizer que a ama. Pode parecer algo bobo, mas para ela é como se desse os anéis de Saturno. Logo então, você vai ouvir a canção favorita dela, entenderá que era para você, principalmente, aquele trecho que falar: “que realmente não creio que você seja tão forte assim…”. E aí você vai compreender, no final das contas, você que terminará sozinho.

Aliás, espero que você não se arrependa. Porque será tarde demais.

O último adeus

Acordei como qualquer outro dia. Tomei um banho rápido, me arrumei e preparei um café forte para enfrenta mais uma rotina do dia a dia. Resolvi ir a pé para o trabalho, já que a caminhada duraria meia hora. Só que, eu estava tão distraída, que nem prestei atenção em uma circunstância, em que eu estava passando em frente ao seu prédio – prometi a mim mesmo, que cortaria quarteirões para não passar naquele lugar, do nosso último adeus.

Ainda sou covarde. Não quero reviver nada daquilo. A pior parte de todas, acabei parando em frente a sua janela. Até porque, um pequeno detalhe me deixou feliz: as flores que eu cultivava ainda estavam na sacada. De uma forma ou de outra, eu ainda pertencia aquele lugar, mesmo sabendo que não fazia mais parte da sua vida. É claro, ainda dói saber que, o seu amor não me pertence mais.

Aliás, naquela mesma sacada, foi o nosso último beijo. O último abraço e também o último adeus. Acabei fazendo questão de exala o cheiro do seu perfume, que talvez, seja uma das últimas lembranças que levarei comigo. E com o tempo seu rosto vai desaparece da minha memória, em doses pequenas, o som da sua voz, vou acabar me esquecendo.

Eu não queria que tivesse acabado – sei que existia amor de ambas as partes. Mas sabe de uma coisa? É melhor assim, acabou nós dois ainda se amando, sem raiva, mágoa ou culpar. E também não estávamos preparados suficientemente para algo mais sério, precisamos nós descobrir. Ou, pelo menos, essa foi uma das melhores desculpas para terminamos.

Eu precisava voltar para minha rotina monotonia, mesmo desejando passar o dia todo em frente a sua janela. A vida tem que continuar, preciso seguir sem olhar para trás, está ciente, que o amor virou saudade. Se eu pudesse te disse algo, agora, seria somente: Obrigada, você me mostrou o significado do amor. Além disso, que o importante, o importante mesmo, foi eterno enquanto durou.

Sabe, não terminou como conto de fadas

Eu costumava ficar os observando. Todos sabiam que eles eram amigos. Ou melhor, dizendo, melhores amigos. Porém, o que todos sabiam mesmo era que, eles se amavam. Só eles que ainda não haviam percebido. Encontravam-se quase todos os finais da tarde na lanchonete da esquina. Conservam sempre dando atenção um para o outro. Sem mexer no celular, como se nada mais tivesse importância. Curtiam apenas o momento.

Ele, uma calmaria. Ela, uma grande tempestade. Totalmente opostos. Porém, ao mesmo tempo se completavam.

O rapaz, acabei percebendo, era muito centrado. Guiava-se pela razão, jamais pela emoção. Tinha os pés no chão. Sempre com um bom humor. Mas eu, identifiquei em seus olhos, um medo. Desconfio que, até ele mesmo desconheça.

E a moça, carregava quase sempre algum livro de Shakespeare. E também outros livros. Decorava, provavelmente, alguma peça de teatro. Em sua pele existia tatuagens enigmáticas. Constelações. Rosas. Borboletas voando. Lua. Unicórnio. De alguma forma todos os desenhos poderia ser uma grande definição sobre ela. Confesso que imaginava o significado de cada um deles em sua vida. Aliás, a primeira impressão dela é, uma garota sonhadora que viver com a cabeça nas nuvens.

Em um fim de tarde, como todos os outros, clientes já tinham ido embora e os dois continuavam sentados na mesa e, então, algo que todos imaginavam que ia acontecer. Aconteceu, eles se beijaram – não literalmente, porque quem teve a iniciativa do beijo foi ele. E ela correspondeu, mas depois saiu correndo, deixando ele sozinho. E não acabou, antes de ir embora, ele deixou um bilhete singelo na mesa “Desculpe pelo beijo, mas eu prometo não te incomodar mais”.

Nos dias seguintes, ela continuava o esperando no mesmo lugar. Ele não apareceu mais. Nem na segunda, terça e todo resto do mês. De telespectadora, fiz parte daquela história, entreguei o bilhete que ele havia deixado. Seus olhos lacrimejavam, enquanto lia mais de duas vezes aquele pequeno bilhete. Depois, guardou na bolsa o pequeno papel e foi embora se misturando no meio da multidão. Nunca mais ninguém os viu por ali.

Pena que, aquela história não terminou iguais aos contos de fadas. Cada  um seguiu o seu caminho.

Quem sabe, um dias eles se reencontram e descubram, o amor foi um dos sentimentos que mais os ligavam. Talvez, pode ser tarde. Além disso, quero que eles sejam felizes, mesmo não estando juntos. Pode ser que acabou, mas se foi bom, guardem as melhores memórias, porque são essas que merecem fazer parte das lembranças que viveram juntos. Até o fim.

Nosso amor não tem preço

Ás vezes, eu vejo que o amor está sendo corrompido pelo dinheiro. Afinal, o mundo vem girando em torno dele. Mas, mesmo assim, ainda tem um terço de pessoas que ainda valorizar o amor, e, você é uma. Até porque, você me mostrou o verdadeiro significado do amor – não tem nada a ver com presentes caríssimos, mas sim com a cumplicidade.

A gente nunca se deixou guiar pelo que os outros dizem. Sempre buscamos as coisas simples que possa existir. Como pode observar as estrelas juntos e contar o máximo que conseguimos e ainda tentar adivinhar o nome de algumas delas. Ver o nascer e o pôr-do-sol. Andar de mãos dadas por aí e roubar as flores dos jardins que encontramos pelo caminho. Sentir prazer nos pequenos detalhes e nas coisas, como o cheiro de café recém passado. Sem ser preocupar com as horas, nem com os bens materiais e muito menos com contas para pagar.

Ao seu lado, eu não preciso de mais nada. Juntos, vamos superando cada obstáculo, vencedor dias difíceis e compartilhando todas as vitórias. Porque a gente sabe que, unidos tudo é possível.

Ter sua companhia me mostra que o amor é feito de pequenas coisas. Me mostra que nenhum dinheiro do mundo pode comprar um sentimento tão verdadeiro.  E, de certa forma, também mostro isso para você. E é então que o nosso amor se fortificar! Aliás, com toda modéstia, nem mesmo nos lugares mais caros do mundo, você não vai encontrar ele lá. Porque está, nas atitudes e na simplicidade da vida.

E com você, eu quero somente o essencial, que o nosso companheirismo e a nossa cumplicidade continue mais forte, já que, o resto eu não me importo.

Eu só queria te dizer que o nosso amor não tem preço –  e, o grande valor, é ter você ao meu lado.

Que esse novo ano seja leve

Quando o relógio marcou meia noite o que você desejou? Aliás, você fechou os olhos e com fé pediu um ano com coisas positivas e repleto de felicidade?! Cada um de nós fez um pedido desejando: saúde, paz, amor, felicidade, esperança e tantas outras coisas boas. Além disso, resolvi aderir à força do pensamento e desejar com todo o meu ser somente coisas boas e positivas, para cada um de nós.

Desejo que você consiga vencer cada um dos obstáculos, que esteja no seu caminho, por mais complicado que seja. Que saiba preservar cada momento bom que viver e, os ruins, sirvam de aprendizagem. Que a gente consiga ser mais tolerante, buscando sempre está em harmonia com o próximo.

Desejo que saiba administrar os seus sentimentos. E que tenham o equilíbrio do amor e da razão. Porque não escolhemos o que vamos sentir, mas temos a obrigação de ter controle, sobre a forma que eles podem nos afetar.

Desejo que conserve as velhas amizades, até porque, partilhou com você diversas histórias. E que novas possam surgir e que te ensine coisas novas. Guiando na direção da felicidade com muito amor e fraternidade. O mais importante: esteja conosco em todos os momentos e que possamos confiar. E que saiba valorizar uma amizade, porque não é fácil despir a alma pras pessoas. São raros os que merecem ter um vislumbre dela.

Desejo que cada um dos nossos sonhos possam se concretizar, até mesmo aqueles que estavam guardados em alguma gaveta. Não devemos deixar que o medo os roubem e muito menos temer julgamentos alheios. Se o sonho está no seu coração, siga até a glória (mesmo que os caminhos sejam repletos de espinhos!), que cada dia, caminhe mais perto do que você tanto desejar. E, se não der certo, tomara que haja força e fé o suficiente para encarar, também, as derrotas.

E um dos meus maiores desejos é que sabemos receber e retribuir amor: da família que cuida da gente e nos proteger, quando o mundo parece desabar. Dos amigos que nos amparar em dias difíceis. E de amores que preenchem o nosso coração e, o melhor de tudo, que transborde.

Antes de terminar o texto: Daqui em diante, teremos 365 novas oportunidades de reescrever uma nova história para nossa vida. Que seja divertido, doce, acolhedor e cheio de coisas positivas. Porém, o mais importe: que seja leve como uma brisa. Combinado?

Então, dezembro, o que ainda me reserva?

Quando criança dezembro era o meu mês favorito. Eu gostava de andar nas ruas e ver as casas decoradas e as luzes de natal iluminando a cidade. As lojas lotadas com pessoas comprando presentes ou lembrancinhas. E também o clima das festas, bom velhinho, bola de neve e os filmes que mostrava essa época. Pois é, eu amava tudo que envolvia essa magia do natal.

Como num passe de mágica, nada disso me encantava mais. Acabei perdendo aquele olhar de criança. A partir de então, dezembro, acabou ser tornando o meu mês de reflexão; consequentemente, coloco em uma balança as coisas boas e ruins, que aconteceram esse ano. Talvez, não tenha sido um dos melhores onze meses da minha vida, mas é o que, eu posso levar na minha bagagem de aprendizagem.

Sim, eu sei que as coisas não vão mudar em apenas um mês, mas ainda, dá tempo de fazer algo para esse mês ser um dos melhores. Ou que não seja tão ruim. Quero realizar coisas simples – como visitar uma amiga que não vejo há anos, ajudar alguma instituição de caridade, visitar velhinhos em um asilo. Ou simplesmente para um pouco e olhar o pôr do sol e entre outras coisas, que não só vai fazer meu mês de dezembro ser melhor, como posso fazer mais pessoas felizes: com um pouco de solidariedade.

Porque, nesse mês, – a que poucos dias nos restam deste ano. Desejo que possa ser leve como uma brisa. Eu torço pelo tempo passar devagar, bem devagar, para dar bastante tempo de você aproveitar cada minuto.

Um leve dezembro a você, então.

Que ainda exista amor pra recomeçar

que-exista-amor-pra-recomecar-textoEu não acreditei quando você disse que iria embora –, para mim você estava blefando. De madrugada você me enviou uma mensagem se despedindo. Corri para suas redes sociais e lá encontrei uma penca de mensagens dos seus amigos. Meu corpo gelou naquele instante. Então você tinha feito sua escolha. Nem fez questão, de se preocupar com o que eu ia sentir. Durante alguns minutos queria que um meteoro caísse na sua cabeça. Que nada desse certo. E que você percebesse que era um erro, um grande erro, talvez um dos maiores da sua vida. Em fração de segundo, me sentir egoísta em querer prender você aqui comigo.

Olhei pela janela e calculei quantos lençóis eu tinha que amarrar pra tentar fugir de madrugada. Queria sair correndo até sua casa e pedir que não fosse embora. Iria falar que você é um estúpido, idiota e um bobo, que ninguém conseguiria viver longe de você, principalmente eu. Se fosse preciso sairia correndo até o aeroporto impedindo que você pegasse um voo, iguais essas cenas clichês dos filmes.

No entanto, você fez uma decisão e, eu não vou te impedir. Se essa for sua escolha então, vá. Eu só tenho que respeita. Sei que seus sonhos não estão aqui. Vai conquistar o mundo. Espero que encontre o que você tanto procurar. Vou ficar aqui torcendo por você. Eu só quero que você saiba que eu te amo e continuarei te amando. Estou abrindo mão da minha felicidade só pra te ver feliz. Acho que essa é uma grande prova de amor, né? Abrir mão da pessoa que amamos e ficar observando ela ir embora (…)

Talvez, por uns dias ou quem sabe pra sempre.

Por isso, que vou ficar desejando tudo de melhor na sua vida, mesmo não fazendo mais parte dela. E que nessa sua nova fase, venha conhecer pessoas incríveis, que te ensine coisas novas e que você possa ensiná-las também. Que tenha dinheiro, mas que não mude o seu caráter, apenas te dê mais aprendizagem e conhecimento. Bem, o que eu mais te desejo é: amor. Em todos os dias da sua vida. Desejo simplesmente amor. Que encontre alguém que te faça fica, porém, se ainda não encontrar esse alguém, que ainda exista amor pra você recomeçar. Somente isso.

São tempos difíceis para os sonhadores

texto153No filme O Fabuloso Destino de Amélia Poulain, a personagem Eva, interpretada por Claude Perron, expressa a frase “são tempos difíceis para os sonhadores”. É uma das citações mais impactantes no filme no meu ponto de vista. Compartilhando com a gente uma grande verdade dos dias atuais.

Mal amadurecemos e a vida nos cobra que crescemos. Quando chegamos à vida adulta e acabamos entrando em um labirinto – que, parece que não há saída. Precisamos decidir qual curso fazer na faculdade e imediatamente procurar um emprego. Aff! De repente sente como se ninguém importasse com os seus verdadeiros sonhos, mas sim, que você precisa ter logo uma vida estabilizada.

É nesse, meio caminho que muitos sonhos vão ficando para trás. Existe quem não aguentar tanta pressão e acabar desistindo daqueles sonhos que desejou a vida inteira. Achando que é melhor guarda em uma gaveta. Do que ter que lutar. Eu não julgo quem desistiu, admiro até. Porque lutar por um sonho é difícil, desistir dele é muito mais.

Nós, sonhadores, estamos constantemente lutando. Tem que se reergue a cada “não” que levamos. Pular a janela quando as portas se fecham. Temos que ouvir “você não vai conseguir” ou “é impossível”. Pensamos em jogar tudo pro alto. Aliás, essas pessoas, acham que não vai dá certo, porque, acabaram desistindo e tentam menosprezar. E então, sua ficha cair e perceber que seus sonhos não dependem dessas pessoas, que tentam ter colocar pra baixo. E, sim, de você.

Suas lutas estão apenas começando. Como um pequeno barco no mar –, enfrente todas as ondas que atravessa o seu caminho. Reme na direção dos seus sonhos. Mesmo que não seja fácil, porém, não desista daquilo que você tanto sonhou. São tempos difíceis, como diz Amélia Poulin, por isso, não desacredite de você mesmo.

Além disso, o que seria do mundo sem pessoas sonhadoras?