E se a gente tivesse mais empatia?

Quando adolescente acabei dando muito ouvido para pessoas que me menosprezava – colocando defeitos na minha personalidade, no meu corpo, no meu cabelo e também no meu estilo. Sendo sempre subestimada. E tudo isso, acabou fazendo com que eu tivesse conflitos comigo mesmo, me tornando uma garota bem insegura e tímida. Até mesmo, me insolando das pessoas por causa da minha autoestima baixava, achava que conversavam comigo por pena. Quando percebi já estava até me auto-sabotando, e isso, começou afetar a minha vida em diversas formas. É muito complicado, quando você se tornar a sua pior inimiga, é algo muito exaustivo.

No fundo, eu sabia que o problema não era comigo, mas sim, com essas pessoas que tentava me diminuir. Então por que diabos eu dava ouvido para elas, eram pessoas tóxicas, que precisava inflar o ego para se sentir superior com a minha inferioridade. Veja só, com o passar do tempo parei de ligar com as críticas, elas sempre estão por aí. Eu vi que não adianta tentar ser perfeita, porque ninguém é, aliás, as pessoas se transformam constantemente. Tic tac tic tac.

Por que magoar alguém com palavras irracionais? Palavras machucam, ferem e sagram. Quando for dizer algo coloque no lugar da pessoa que vai ouvir, isso se chama empatia, quando você enxergar, além do seu umbigo. Aí você lembra, daquela velha frase que diz: “todo mundo está enfrentando uma batalha da qual não sabemos nada a respeito”. Ah, sabe de uma coisa? Não estamos aqui para ferir uns aos outros… Por que não ajudamos? 

Então, lá vai o meu conselho de hoje: Em vez de se incomodar com o que as pessoas dizem ou pensa sobre você, simplesmente ignore-as, talvez no começo, elas tentam te machucar, mas com o passar do tempo vão ver que não adiantar lança flechas contra você, porque elas vão atravessar o seu ser e nenhuma vai te ferir mais e, com isso, você vai sentir a sensação de liberdade.

O amanhã não nos pertence

texto2A gente nunca saber quando vai ser o último adeus. Encontramos com as pessoas que amamos e esquecemos de dizer o tanto que são especiais nas nossas vidas. De uma forma bem difícil, eu vivi isso, quando vi o meu pai em um leito de U.T.I., acabei percebendo que não estamos preparados para perder quem amamos. São tantos planos que, você só começar a viver de incertezas.

Acabei refletindo que estamos vivendo uma vida atrás de bens materiais, bom emprego, status, aquele curso dos sonhos e, acabamos esquecendo-se das pessoas que são especiais. E logo, acostumamos com a rotina do dia-a-dia. Saímos sem dizer o tanto que a pessoa é importante, esquecendo que aquele pode ser tornar o último momento juntos. O pior é saber que aquelas conversas pode se tornar lembranças do passado. E aquele último abraço de manhã, talvez, seja um adeus. E todas as fotografias vão acabar se tornando nostalgia.

Sabe qual é o nosso pior erro? Esquece que o dia do amanhã não nos pertence. Aproveite e diga “eu te amo”. Abrace como se a sua vida dependesse desse abraço. Veja como sua família e amigos são importantes pra você. Reflita e pense: e se hoje for o último dia das nossas vidas? Então, viva intensamente e, curta cada momento.

Descobri que no final do túnel sempre há uma luz. E graças a Deus, hoje faz cinco dias que meu pai saiu da U.T.I., e o melhor de tudo, sem nenhuma sequela. Aprendi que mesmo que as coisas estejam péssimas, pensamento positivo e emitir coisas positivas. Você vai acabar começando a atrair coisas positivas pra sua vida, e que, dias melhores virão, se não for hoje ou amanhã, será depois, mas chegará, confie em Deus, ele não faz nada em vão. 

Enquanto estou terminando esse texto. Eu só quero tomar um pote de sorvete com o meu pai e, com muita cobertura de chocolate. Porque são momentos pequenos assim, que se tornam inesquecíveis.

Segurando o mundo com as próprias mãos

comportamentoVocê já se sentiu como se segurasse o mundo com suas próprias mãos? Como se todos os problemas caísse sobre a sua cabeça. Ou que a qualquer momento tudo cairia por terra. E muitas vezes você acaba sentindo que chegou ao limite e sentir vontade de dá um enorme grito: Canseeeeei.

O problema é que pensamos que podemos ser os heróis do mundo. Resolver os problemas de tudo e de todos, e depois, temos os nossos próprios problemas para ser resolvidos. Então, você acaba sentindo o peso do mundo nas costas, um peso morto, que não te pertence. Não é egoísmo, é aprendizagem, não tem como você querer cuidar de todos, sem antes cuidar de você. Coloque sua vida como prioridade, todos os seus sonhos e cada um dos seus desejos. Lembre-se, sempre: Cada pessoa tem os seus problemas e cabe cada um delas resolver. Somos seres humanos e não semi-deuses.

Você não tem que ficar segurando o mundo com as próprias mãos. Tudo isso pode ter acarretar ansiedade, estresse e até mesmo o medo. Tente não se preocupar com coisas não faz tanta diferença na sua vida. De um tempo pra você quando se sentir cansada. Não existe nada melhor do que ter paz interior. Quando você conseguir alcançar essa paz, vai ser mais fácil ajudar as pessoas. Vai fazer bem para você e vai conseguir tirar esse peso morto das suas costas. Mantenha a calma, e, cuide-se, para não chegar ao seu limite. É esse limite que é perigoso, é quando o seu mundo desmoronar.

Ela se perdeu de si mesma

texto258

Leia o texto ouvindo:
Acendeu um cigarro e levou a boca. Suas mãos estavam trêmulas e estava sozinha em meio aquela rua cheias de pessoas. Sua alma gritava por socorro. E em uma tragada e outra, lágrimas escorria pelo seu rosto. As pessoas passava por ela, fingindo não ver. Ela abraçava os joelhos, com medo. Isso faz com que ela se sinta mais protegida. Mas no meio daquela escuridão toda ela sabia que nada daquilo adiantaria.

A noite ia ficando mais fria e orvalho caia sobre sua pele. Ela esfregava as mãos uma na outra para poder se aquecer, e o pior, que a única coisa que aquecia era aquele cigarro entre seus dedos. Sentia o amargo na sua boca, mas aquilo, aliava o que estava sentindo por dentro. Ela fechava os olhos e desejava poder acordar daquele pesadelo. Seus dias eram sempre os mesmos, tão tristes e solitários. Quantas vezes ela queria apenas poder abraçar alguém. Só que ela contava apenas com a sua solidão que sempre estava ao seu lado, até mesmo quando não era convidada.

Ela se perdeu de si mesma, não conseguia entender o que tinha acontecido na sua vida. Sentiu como se o mundo a odiasse.

Barulhos de sirene, nada daquilo assustava mais. Já era altas horas da madrugada e as pessoas continuavam indo e vindo. E ela, continuava sentada nos degraus da escada. Só que agora o orvalho tinha se transformado em uma tempestade. Sua roupa se ensopava e o seu corpo tremia todo de frio. O que ela queria, era sua cama quentinha. Ela queria agora pode estar em casa. Só que sua casa tinha tomado outros rumos.

Fechou os olhos e desejo do fundo do coração que alguém ajudasse. De repente sentiu que não cair mais chuva nela. Seus olhos se abriram, reparou que ao seu lado havia alguém de pé segurando um guarda-chuva. Era um rapaz alto, não conseguiu ver muito o seu rosto, mas tinha cabelos na altura do ombro. Agachou-se e entregou a capa de chuva que estava vestindo e o seu casaco. Aliviando frio que ela sentia. O seu rosto tinha traços marcantes, olhos cor de caramelo e o seu sorriso era capaz de desarmar uma guerra. Ele foi embora naquela tempestade e a chuva caia sobre ele. Ela continuava observando sua imagem sumindo em meio às ruas e os carros.

Ela sabia que ele era o seu anjo. Jogou a caixa de cigarros fora. Solto o cabelo e deixou que o vento soprassem todos os fios vermelhos dele. Ela levantou-se daquele chão molhado e frio. Enxugou com as costas das mãos as lágrimas que fazia questão de continuar escorrendo, mas agora, brigava com um sorriso gentil em seu rosto. Ergueu a cabeça e saiu daquele lugar. Ela foi em direção ao horizonte, deixando para trás tudo aquilo que não a pertence mais. Ela sabia que não tem como passar pelas felicidades da vida sem antes conhecer a tristeza. Então é isso, ela acabou percebendo que depois da tempestade sempre vem o arco íris. 

Eu gosto de gente que(…)

Eu gosto de gente que amar sem pedir amor em troca. Gente que dizer “obrigado”, ”por favor”, e “desculpa”. Gente generosa. Eu gosto de gente que valoriza a qualidade, em vez de quantidade. Gente que se colocar no lugar do próximo. Eu gosto de gente que não se achar superior a ninguém. Gosto de gente humilde. Gente que dizer o que sentir, sem medo ou receio de esconder. Gente que errar e admitir que errou. Eu gosto de gente louca, verdadeira e que tem audácia de rir da vida.

Gosto de gente de abraço apertado, esmagando. Gente engraçada que faz todo mundo rir. Eu gosto de gente que acreditar no sonho e que não desiste no primeiro obstáculo. Gente que valorizar cada segundo. Gente que não importa só com dinheiro, e sim amor pelo que faz. Gente que amar sua família e se orgulha dela. Eu gosto de gente que faz amizade. Gente que amar livros. Eu gosto de gente que mesmo depois de adulto assistir filmes infantis. Gente que não ligar para o que os outros pensam.

Eu gosto de gente da risada engraçada, que dá gargalhada. Gente que não suporta falsidade e nem hipocrisia. Gente que não maltratar e nem humilha. Gente que amar os animais, e as crianças, e respeita os idosos. Gente que não usar as pessoas. Eu gosto de gente que respeita o seu próximo.

Gosto de gente que olhar nos olhos. Gente que mostrar quem é, sem usar máscaras, sem importar se as pessoas vão gostar. Eu gosto de gente que vai embora, mas sabe voltar. Gente que faz gentilezas. Gente que anda sorrindo à toa. Gente que não tem vergonha de dizer “eu te amo” e valorizar muito bem as pessoas que amar. Gosto de pessoas que se ama acima de tudo.

Eu gosto de gente que é gente de verdade, que se importa apenas em ser feliz. O que eu gosto mesmo é de gente que sabe valorizar a essência das coisas e da vida.

Me encontrar

Imagem

Vontade de ir embora, para que sintam minha falta. Sabe quando você briga com alguém ou apenas aquela vontade de sumir do lugar aonde você morar… Vontade de pegar uma mala arrumar as coisas e sumir, ou apenas arruma uma trouxinha e sair andando por esse mundo. Vontade de fazer igual o menino do clipe Love Generation pega uma bicicleta e fica pedalando sem rumo! Vontade de fugir dessa rotina do dia a dia. Vontade de viaja pra bem longe e esquece de tudo. Vontade de ir embora conhece novos horizontes, novas pessoas e quem sabe encontra alguém que eu me apaixone. Apenas quero encontrar o meu lugar. Só queria apenas dizer: “Até que enfim encontrei o meu lugar”.