Sabe, não terminou como conto de fadas

Eu costumava ficar os observando. Todos sabiam que eles eram amigos. Ou melhor, dizendo, melhores amigos. Porém, o que todos sabiam mesmo era que, eles se amavam. Só eles que ainda não haviam percebido. Encontravam-se quase todos os finais da tarde na lanchonete da esquina. Conservam sempre dando atenção um para o outro. Sem mexer no celular, como se nada mais tivesse importância. Curtiam apenas o momento.

Ele, uma calmaria. Ela, uma grande tempestade. Totalmente opostos. Porém, ao mesmo tempo se completavam.

O rapaz, acabei percebendo, era muito centrado. Guiava-se pela razão, jamais pela emoção. Tinha os pés no chão. Sempre com um bom humor. Mas eu, identifiquei em seus olhos, um medo. Desconfio que, até ele mesmo desconheça.

E a moça, carregava quase sempre algum livro de Shakespeare. E também outros livros. Decorava, provavelmente, alguma peça de teatro. Em sua pele existia tatuagens enigmáticas. Constelações. Rosas. Borboletas voando. Lua. Unicórnio. De alguma forma todos os desenhos poderia ser uma grande definição sobre ela. Confesso que imaginava o significado de cada um deles em sua vida. Aliás, a primeira impressão dela é, uma garota sonhadora que viver com a cabeça nas nuvens.

Em um fim de tarde, como todos os outros, clientes já tinham ido embora e os dois continuavam sentados na mesa e, então, algo que todos imaginavam que ia acontecer. Aconteceu, eles se beijaram – não literalmente, porque quem teve a iniciativa do beijo foi ele. E ela correspondeu, mas depois saiu correndo, deixando ele sozinho. E não acabou, antes de ir embora, ele deixou um bilhete singelo na mesa “Desculpe pelo beijo, mas eu prometo não te incomodar mais”.

Nos dias seguintes, ela continuava o esperando no mesmo lugar. Ele não apareceu mais. Nem na segunda, terça e todo resto do mês. De telespectadora, fiz parte daquela história, entreguei o bilhete que ele havia deixado. Seus olhos lacrimejavam, enquanto lia mais de duas vezes aquele pequeno bilhete. Depois, guardou na bolsa o pequeno papel e foi embora se misturando no meio da multidão. Nunca mais ninguém os viu por ali.

Pena que, aquela história não terminou iguais aos contos de fadas. Cada  um seguiu o seu caminho.

Quem sabe, um dias eles se reencontram e descubram, o amor foi um dos sentimentos que mais os ligavam. Talvez, pode ser tarde. Além disso, quero que eles sejam felizes, mesmo não estando juntos. Pode ser que acabou, mas se foi bom, guardem as melhores memórias, porque são essas que merecem fazer parte das lembranças que viveram juntos. Até o fim.

Não precisa estar ao lado, para ser melhor amiga

texto-melhores-amigas-sempreEssa semana minha melhor amiga de infância veio aqui na minha casa. Por incrível que pareça, havia seis anos que a gente não se via e não tinha trocado nem telefonema e nem mensagem – já que não tínhamos o número uma da outra. Mas quando nós reencontramos de novo, parecia como se estivéssemos grudadas esse tempo todo. Sem cobrança nenhuma de ambas as partes por não ter dado notícias. Somente nos abraçamos e rimos como se não houvesse o amanhã. Aliás, o que bastava é apenas a companhia uma da outra.

Se dependesse de mim a gente nunca tinha ficado tanto tempo longe assim. Porém, a vida acabar nós obrigando a trilha caminhos diferentes. Tem os que permanecem e os vão em buscar dos seus sonhos, às vezes, é quilômetros e mais quilômetros de distância. E o que restava, era aprender a conviver com a saudade. E teve dias, que não cabia mais no coração e, acabava escorrendo pelos olhos.

Você se lembra? Juramos de dedo mindinho que seríamos amigas para sempre. E, quando brigávamos porque nós duas queria ser a Roberta, do Rebelde. Também dividimos os lanches na hora do recreio. E todas as nossas discussões por causa de ciúmes bobos. Ou quando colávamos na escola uma da outra. As professoras de colocava a gente do outro lado da sala pra ficar longe, mas não adiantava de nada, continuávamos conversando por aviãozinho ou bolinhas de papeis – já que naquela época ninguém tinha celular. E que saber? Esses momentos foram o que tornaram a nossa amizade ímpar.

A nossa conexão era tão boa, que não precisava falar nada, apenas um olhar já dizia tudo. E como dois baús, a gente compartilhava todos os segredos (engraçado, que nada mudou até hoje), também os medos e os sonhos. Sentir saudades do seu abraço de urso, das nossas risadas e também das nossas briguinhas infantis. Diga-me, o que é duas amigas sem discussões?

Porém, um dos meus maiores medos que você não sabe é, que, quando a gente se reencontrasse de novo (depois de tantos anos). As nossas conversas fossem rasas, com apenas, “oi tudo, bem? Tudo e você? Também… Silêncio.” e, que terminassem assim que começassem. Então, os nossos caminhos se encontram. Vi que aquela amizade de infância continuava ali, porém, um pouco mais madura. Também notei, como se o tempo havia parado pra gente, como se aquelas duas crianças ainda existisse.

Eu compreendi que amizade não é quem estar ao seu lado em todos os momentos, mas, quem vai embora e quando volta tudo continua como era antes. O amor, a cumplicidade e a irmandade. Porque colegas a cada esquina a gente pode fazer uma, porém, amiga é um presente que a vida nos dar.

Sei que as estações vão mudar e os anos vão passar, mas que a nossa amizade vai durar pra sempre. E quando os nossos caminhos se desencontrarem de novo, tenha certeza, que o destino vai uni-lós.

O que me restou foi apenas lembranças

texto36Aproveitei o fim da noite para organizar os álbuns de fotografias e acabei encontrando fotos antigas de bons momentos vividos. Fotografias que eu não lembrava. Algumas fizeram parte da minha infância e outras da adolescência. Acabei encontrando fotos dos amigos que imaginei que estaria comigo até hoje.

Comecei lembrar todos os momentos que vivemos juntos. São momentos que se eu pudesse eternizava! A maioria foram alegrias, mesmo passando por momentos de dores continuávamos sorrindo. E um desses momentos vividos, está à nossa professora da sexta série, mais doce que tivemos a chance de conhece, mas a vida teve outros planos pra ela. E um dia de sol ela partiu e deixou um grande legado pra gente: “que tudo se curar com um grande abraço, ainda mais das pessoas que te faz tão bem”. Aprendemos que um abraço é a melhor forma de conforto.

Quando fecho os olhos, consigo enxergar o sorriso de cada um deles. Lembro das discussões por tolices e no final acabava todo mundo rindo. Naquela época o nosso maior problema foi quando descobrimos as equações – olhar que nem imaginávamos o que esperaria por nós. Vivemos aqueles momentos tão intensamente e, esquecemos até que um dia tudo aquilo fosse acabar. As chuvas eram tão divertidas, brincávamos e saíamos correndo no meio daquela grama molhada. Hoje vejo se pudesse, teria aproveitado cada um dos pinguinhos que caiam do céu e me divertindo ainda mais. Sem se preocupar com nada, apenas em ser feliz.

Ainda consigo sentir o abraço de cada um deles. Só que na realidade, cada um seguiu o seu caminho. Muitos eu não sei o que aconteceu. Alguns casaram. Outros foram embora para outros estados e a quem resolveu ir embora para outros países. E teve os que tiveram filhos. Outros simplesmente sumiram. Sem brigas e nenhum receio. Só acabamos nos desencontrando por essas estradas com curvas da vida. Hoje vejo o que os adultos diziam era verdade: aproveite porque um dia vai restar só saudades.

Pois é, o que me restou não foi apenas saudades, e sim, lembranças.

Já passar da meia noite. Todos já foram dormi. O silêncio tomou conta da sala. Fecho o álbum e guardo na caixa. Uma lágrima cair. Daqui menos de um mês completo, 21 anos. E durante esses anos passou muitas pessoas na minha vida. A quem marcou e quem apenas passou sem fazer nenhum sentido. Nessas lembranças, vejo que todo mundo, teve um propósito na minha vida. Uns me ensinou a serem diferente deles, outros me ensinaram que podemos ser feliz com menos. E teve quem me ensinou o que é amizade e outros me ensinaram o que é cumplicidade. E vai ter aqueles que eu vou guarda pra sempre no lado esquerdo do peito, bem no fundo do coração, onde vai permanece eternamente em cada lembrança da minha vida.

O tempo

texto983O tempo vai passando rápido,
Hoje é o presente e amanhã é o passado.
Fechamos os olhos mais um dia se foi,
Não tem como dar um tempo para a vida.
Ela passa rápido demais,
Mais rápido do possa imaginar.
As horas podem significa segundos,
E os meses podem ser dias,
E os anos podem ser apenas meses,
O tempo é isento
Faça o que tem para fazer hoje,
Amanhã não te pertence.
O tempo caminhar na direção do futuro,
E nunca sabemos o que ele traz na bagagem.
Valorize cada segundo que a vida te dar,
Curta e aproveite o máximo que puder,
Isso tudo o que você viver vai virar meras lembranças.
É com o tempo que aprendemos,
Tudo que temos que aprender,
O tempo pode ser nosso amigo ou inimigo,
Mas isso depende de você,
Qual sentido você vai dar pra ele?
Porque afinal, o tempo é hoje.