Saudade…

texto359 Saudade… Não consigo entender como uma palavra tão simples, só de ouvir é tão dolorida. Nada nesse mundo tem mais toneladas do que a saudade, nada. Saudade é uma dor imensurável e sufocante presente em cada hiato. É sentimento que esmaga o peito como se fosse concreto. A saudade é a vírgula quilométrica, sem ponto final. Se existe algo pior que saudade, por favor, não me apresente. Eu não quero conhecer. É algo difícil de explicar quando você menos pensar já está com saudades de algo ou alguém. Não importa de quem seja. De um ex- namorado, de um amor que já partiu, de uma amiga que não conversa mais, de um parente que se foi, dos amigos de infância, dos momentos que não vão existir nunca mais. E tudo resolver ir embora, menos a saudade, ela fica. Não tem como ela insiste em ficar, é algo que não conseguimos nós livrar. Ela é persistente, vai insisti em ficar, e vai sempre fazer lembrar de momentos que nunca mais vai existir.

Ela é devastadora, quando você menos imaginar ela vai entrar na sua casa sem ser convidada, vai te fazer abrir álbuns de fotografia, sentir cheiro do perfume de alguém, lembrar de sorriso, e um abraço, até um simples “oi” ela é capaz de te fazer lembrar. A saudade transforma qualquer música em motivo para pensar naquilo que partiu. Ela é assim, não ligar para o que você irá sentir. Ela doer, destrói, não, ela não ligar se vai te fazer sofrer. Talvez ela não seja a vilã da história, com a saudade aprendemos a dar valor nas coisas e pessoas. Ela nos ensina da forma mais dolorida, que em um minuto nós temos, e em segundos podemos perder. Ela mostrar que quando não sabemos valorizar virar apenas lembrança. E lembranças, lembrar saudade. Saudade ela relembrar o passado, desfocar o futuro e congela o presente. Desconheço alguém que não tenha sofrido com a saudade.  Não tem como proteger dela, ela sempre ira existir, queira você, ou não. 

Só não se afete com a saudade, sinta ela, mas lembre – se, que se foi para nunca mais voltar, apesar de tudo junto dela sempre vem recordações boas. O passado ficou lá atrás, e a saudade ficou junto com ele. Ela é persistente sempre vai querer voltar. Mas lembre – se, quem tem a chave de casa é você, e não ela.