8 livros incríveis escritos por mulheres que você precisa ler

Hoje é o nosso dia. Ou todo dia deveria ser? Porque nós mulheres somos poderosas, guerreiras e também delicadas, mulher é uma verdadeira batalhadora todos os dias. Cada mulher pode ser o que ela quiser. Concorda? Pensando nisso, trouxe livros escritos apenas por mulheres para que, você adicione a sua listinha literária e também pode presentear as mulheres incríveis, que você ama, ajudando a empoderar a literatura feminina. Vem ver!


Minha História – Michelle Obama

Um relato íntimo, poderoso e inspirador da ex-primeira-dama dos Estados Unidos. Com uma vida repleta de realizações significativas, Michelle Obama se consolidou como uma das mulheres mais icônicas e cativantes de nosso tempo. Como primeira-dama dos Estados Unidos, a primeira afro-americana a ocupar essa posição, ela ajudou a criar a mais acolhedora e inclusiva Casa Branca da história. Ao mesmo tempo, se posicionou como uma poderosa porta-voz das mulheres e meninas nos Estados Unidos e ao redor do mundo, mudando drasticamente a forma como as famílias levam suas vidas em busca de um modelo mais saudável e ativo, e se posicionando ao lado de seu marido durante os anos em que Obama presidiu os Estados Unidos, em alguns dos momentos mais angustiantes da história do país. Com uma narrativa surpreendente, Michelle Obama traz à tona as dificuldades de ser empresária, educar duas meninas e tudo isso em um país com fortes raízes racistas.

Link para comprar o livro: aqui


A bruxa não vai para a fogueira neste livro – Amanda Lovelace

Aqueles que consideram “bruxa” um xingamento não poderiam estar mais enganados: bruxas são mulheres capazes de incendiar o mundo ao seu redor. Resgatando essa imagem ancestral da figura feminina naturalmente poderosa, independente e, agora, indestrutível, Amanda Lovelace aprofunda a combinação de contundência e lirismo que arrebatou leitores e marcou sua obra de estreia, A princesa salva a si mesma neste livro, cujos poemas se dedicavam principalmente a temas como relacionamentos abusivos, crescimento pessoal e autoestima. Agora, em A bruxa não vai para a fogueira neste livro, ela conclama a união das mulheres contra as mais variadas formas de violência e opressão. Ao lado de Rupi Kaur, de Outros jeitos de usar a boca e O que o sol faz com as flores, Amanda é hoje um dos grandes nomes da nova poesia que surgiu nas redes sociais e, com linguagem direta e temática contemporânea, ganhou as ruas. Seu A bruxa não vai para a fogueira neste livro é mais do que uma obra escrita por uma mulher, sobre mulheres e para mulheres: trata-se de uma mensagem de ser humano para ser humano – um tijolo na construção de um mundo mais justo e igualitário.

Link para comprar o livro: aqui


Orgulho e Preconceito – Jane Austen

Romance clássico ainda com muita vitalidade, A chegada de um jovem solteiro e rico à vila de Longbourn causa um grande alvoroço na família Bennet, cujas cinco filhas – a bela Jane, a sensata Elizabeth, a culta Mary, a imatura Kitty e a desvairada Lydia – foram criadas com um único propósito na vida: encontrar um bom marido. Orgulho e preconceito, livro que a própria autora considerava “seu filho mais querido”, foi publicado originalmente em 1813, e atravessou os séculos dotado de uma assombrosa vitalidade. Além de uma das mais comoventes histórias de amor já escritas, é uma brilhante comédia de costumes e um estudo profundo da sociedade de seu tempo. A plena compreensão do mundo feminino e o domínio da forma e da ironia fizeram de Jane Austen uma das mais notáveis e influentes romancistas de sua época. Ainda que seja um romance, “Orgulho e Preconceito” é o tipo de livro que deixa você inquieto enquanto lê. Elizabeth não aceita o machismo e o patriarcalismo enraizados na sociedade e faz questão de lutar pela desconstrução disso a cada página da história.

Link para comprar o livro: aqui


Ninguém vira adulto de verdade – Sarah Andersen

Um livro para quem não está nem um pouco empolgado com os desafios da vida adulta. As tirinhas certeiras de Sarah Andersen, que já contam com mais de 1 milhão de fãs no Facebook, registram lindos fins de semana passados de pernas pro ar na internet, a agonia de andar de mãos dadas com alguém de quem estamos a fim (e se os dedos ficarem suados?!), a longa espera diária para chegar em casa e vestir o pijama, e a eterna dúvida de quando, exatamente, a vida adulta começa. Em outras palavras, este livro é sobre as estranhezas e peculiaridades de ser um jovem adulto na vida moderna. A sinceridade com que Sarah Andersen lida com temas como autoestima, timidez, relacionamentos e a frequência com que lavamos o sutiã torna impossível não se identificar com esses quadrinhos hilários e carismáticos.

Link para comprar o livro: aqui


Amor Amargo – Jennifer Brown

Último ano do colégio: a formatura da estudiosa Alex se aproxima, assim como a promessa feita com seus dois melhores amigos, Bethany e Zach, de viajarem até o Colorado, local para onde sua mãe estava indo quando morreu em um acidente. O Dia da Viagem se torna cada vez mais próximo, e tudo corre conforme o planejado. Até Cole aparecer. Encantador, divertido, sensível, um astro dos esportes. Alex parece não acreditar que o garoto está ali, querendo se aproximar dela. Quando os dois iniciam um relacionamento, tudo parece caminhar às mil maravilhas, até que ela começa a conhecê-lo de verdade…

Link para comprar o livro: aqui


Sejamos todos feministas – Chimamanda Ngozi Adichie

Chimamanda Ngozi Adichie ainda se lembra exatamente do dia em que a chamaram de feminista pela primeira vez. Foi durante uma discussão com seu amigo de infância Okoloma. “Não era um elogio. Percebi pelo tom da voz dele; era como se dissesse: ‘Você apoia o terrorismo!’”. Apesar do tom de desaprovação de Okoloma, Adichie abraçou o termo e começou a se intitular uma “feminista feliz e africana que não odeia homens, e que gosta de usar batom e salto alto para si mesma, e não para os homens”. Sejamos todos feministas é uma adaptação do discurso feito pela autora no TEDx Euston, que conta com mais de 1,5 milhão de visualizações e que foi transformado em música por ninguém mais, ninguém menos que Beyoncé!

Link para comprar o livro: aqui


Diário de Anne Frank

O depoimento da pequena Anne Frank, morta pelos nazistas após passar anos escondida no sótão de uma casa em Amsterdã, ainda hoje emociona leitores no mundo inteiro. Seu diário narra os sentimentos, os medos e as pequenas alegrias de uma menina judia que, como sua família, lutou em vão para sobreviver ao Holocausto. Lançado em 1947, O diário de Anne Frank tornou-se um dos livros mais lidos do mundo. O relato tocante e impressionante das atrocidades e dos horrores cometidos contra os judeus faz deste livro um precioso documento e uma das obras mais importantes do século XX.

Link para comprar o livro: aqui


Extraordinárias – Duda Porto de Souza e Aryane Cararo

Dandara foi uma guerreira fundamental para o Quilombo dos Palmares. Niède Guidon descobriu os registros rupestres mais importantes do nosso território. Maria da Penha ficou paraplégica e por pouco não perdeu a vida, mas sua luta resultou na principal lei contra a violência doméstica do país. Indianara Siqueira é uma das lideranças mais atuantes da comunidade trans. Essas e muitas outras brasileiras impactaram a nossa história e, indiretamente, a nossa vida, mas raramente aparecem nos livros. Este volume, resultado de uma extensa pesquisa, chega para trazer o reconhecimento que elas merecem. Aqui, você vai encontrar perfis de revolucionárias de etnias e regiões variadas, que viveram desde o século XVI até a atualidade, e conhecer os retratos de cada uma delas, feitos por artistas brasileiras. O que todas essas mulheres têm em comum? A força extraordinária para lutar por seus ideais e transformar o Brasil.

Link para comprar o livro: aqui

Gostou da listinha? Já leu algum desses? Compartilhe com a gente outros livros maravilhosos escritor por mulheres? É só deixar a dica nos comentários!

Inspiração: tatuagens desenhos de mulheres

Cada dia a representação da mulher na sociedade vem ganhando cada vez mais espaço. Seja em: músicas, livros, pinturas, filmes e, aliás, até mesmo em tatuagens. Há um novo movimento nas tatuagens que são desenhos de mulheres. Traz á tona a força e beleza de cada mulher por meio de traços registrados na pele. É um meio de empoderamento, que acabar mostrando a personalidade da pessoa que tatuou em seu corpo. E claro, selecionei inspirações lindas e representativas. Quer ver só?

Quantas inspirações, né? São diversos estilos de desenhos e, sim, para todos os gostos. Fugindo totalmente, de tatuagens no modelo “fofa” ou clássica, esse novo movimento mostrar que representação da mulher nas nossas peles, traz uma conexão ainda mais com a terceira onda feminista. Olha que interessante o espírito do lobo, saindo de dentro da mulher, garota segurando o universo, também temos Frida Kahlo e Medusa, árvores e flores saindo de dentro representa o nosso florescer, e como isso pode ser libertador… São muitas possibilidades bonitas de desenhos!

Tanto amor em estilos tão diferentes de tatuagens… Que tal? Uma rosa com pétala caindo em formato de uma boca. Ou diversas serpentes, da Medusa. Uma garota andando em corda, que representa o equilíbrio. Para quem é apaixonada pelo mundo dos livros, que interessante, esse desenho de biblioteca e uma garota escolhendo livros. Tantos traços delicados e ao mesmo tempo bem elaborado. Cada inspirações maravilhosas, que nós faz ter mais ideia de referências incríveis.

Você pode tatuar em qualquer parte do seu corpo, vai da sua escolha! O interessante desse modelo de tatuagem é criar desenhos únicos a partir das características pessoais específicas. Isso prova de que estamos satisfeitas com o que somos. Lembrando que as inspirações são apenas ideias de referências. Busque algo que transmite que você é única, sua tatuagem também deve ser. E aí, curtiu? Qual delas é a sua favorita? Conta tudo nos comentários!

Seis músicas da Dua Lipa para adicionar aos seus favoritos

Se você ainda não conhece a Dua Lipa, trate de conhecer agora! Ela é uma cantora, compositora e modelo inglesa de origem albanesa. Como a filha de um músico, Lipa cresceu rodeada pela música. Sua carreira musical começou aos 14 anos, quando ela começou a fazer covers de músicas de artistas como Christina Aguilera e Nelly Furtado no Youtube. Em 2015, ela assinou com a Warner Bros e lançou seu primeiro single.

Atualmente com seus 22 anos, estreando seu álbum autointitulado com o seu próprio nome. Dua é uma das grandes apostas da música pop contemporânea, que vem conquistando cada vez mais espaço com suas letras e ritmos contagiantes. Provavelmente você já ouviu algum hit, só não sabia que era dela. Duvida? Então continue lendo para saber mais sobre ela e também para você dançar e cantar muito! Ouça só:

Em agosto de 2015, Dua lançou seu primeiro single autoralNew Love, produzido por Emile Haynie (conhecido por trabalhar com Lana Del Rey e Bruno Mars) e Andrew Wyatt (Miike Snow e Florence + The Machine). O vídeo já acumula mais de 15 milhões de visualizações no YouTube. O sucesso da música também fez com que a cantora figurasse na lista BBC Sound of 2016, da rede britânica. Aliás, o clipe não é cheio de efeitos visuais, mas tem uma simplicidade bem legal e uma fotografia incrível.

Seu segundo single, a música “Be The One”, foi lançado em outubro de 2015 e atingiu o Top 10 em charts na Alemanha, Áustria, Reino Unido, Bélgica e Suiça. O videoclipe da faixa já possui mais de 100 milhões de visualizações no YouTube. Lipa ainda disse que “Be The One” é a única faixa do álbum que não escreveu “[mas] eu não poderia descartá-la; é uma de minhas favoritas.”(é a minha preferida também). O refrão, sem dúvida, é o ponto máximo e vai ficar por alguns dias na sua cabeça (e será prazeroso, acredite).

Mas é em “Hotter than Hell” que ela aposta com mais força a sua chegada triunfal ao cenário fonográfico. De que forma? Investindo no estilo que vem contagiando todos nós há alguns meses, o tropical house. Dua Lipa surge maravilhosa em um barracão na companhia de amigos. O tom monótono é puro disfarce, enquanto a artista suplica pela atenção do amado.

Canção que se tornou sua primeira entrada na parada Hot 100, da Billboard norte-americana. A faixa ainda culminou a parada Dance Club Songs. Tendo o vídeo filmado em torno da arquitetura de Londres, o clipe conta com Dua Lipa e seu esquadrão feminino em meio a skates, casacos, cartazes e uma vibe ativista positiva. Há inclusive placas em que promovem a candidatura fictícia da cantora para presidente, além de uma referência a Meninas Malvadas com um “You Can’t Sit With Us”.

E como todo bom cantor, começou a fazer partições, como essa musica do Martin Garrix. O DJ tem a sorte de ter chamado Dua Lipa, que transformou a canção por meio de sua voz grave e sua personalidade que já conhecemos bem.

“New Rules” é uma canção derivada dos gêneros tropical house, EDM e electropop cuja instrumentação incluiu o uso de bateria e trompa. Liricamente, apresenta Lipa indicando uma lista de regras para terminar com um ex-namorado. E o vídeo traz toda essa temática: para esquecer o boy, Dua conta com a ajuda de várias amigas que passam a dar “novas regras” em sua rotina. O resultado ficou bem teatral, com cenas bem marcadas e com uma coreografia genial e impecável, contando coma uma sororidade feminina. New Rules não tinha como dar errado, né? E no final, Dua aprende a lição e passa a ensinar essas regras para outra amiga.

Em algumas entrevistas Lipa, disse: “Tive altos e baixos tentando me encontrar”, disse ela sobre o processo de descobrir o seu som… “Você tem que trabalhar muito, muito duro – não apenas para a música, mas para qualquer coisa que você faça na vida”, Lipa disse sobre o seu vir-a até a estrela pop. “Eu não acho que ter uma carreira como esta em meu alcance”, ela continuou. “Não há descanso para os maus. Sonhos tornam-se realidade”, ela diz na última linhas do documentário, sabendo que isso é apenas o começo.

E aí, curtiu o som dela? Já tinha ouvido algumas dessas músicas? Então vamos torcer para que venha muito mais hits bons por aí!

Girl Power: como se tornar uma garota forte?

Esse é um assunto que está sendo bastante comentado hoje em dia. Provavelmente, você já ouviu falar de Girl power, certo? Na tradução literal do que é girl power, está ligado ao poder feminino: na sua independência, sua autossuficiência, e aos ideias de ser autêntica e da autoestima elevada. Esse título girl power é muito aliado á mulher que usa de sua voz, suas canções, seus textos ou seus discursos para reafirmar o papel da mulher na sociedade e mostrar que sua posição é importante. São independentes e igualitárias, que sejam, donas de si e que tenham autonomia de estilo de vida e também da sua sexualidade.

O termo representa um fenômeno cultural da década de 1990 e início de 2000 e está também ligada a terceira onda do feminismo. Tornou-se popularizado pelas Spice Girls em meados da década de 1990. A ideia das meninas foi mostrar a força que a mulher tem na sociedade, além de reforçar suas influências culturais. Assim começou se popularizar a revalorização da força que a mulher tem na sociedade. Inclusive, essa foi uma das formas de fazer críticas a opressão que as mulheres receberam ao longo dos tempos. Esse é um tema bem complexo, aliás, precisaríamos de mais posts para falar sobre esse assunto. Só que hoje o foco é como se tornar uma garota forte, talvez, você só precisar de um empurrãozinho. Neste post, listei algumas iniciativas muito importantes: Vamos lá?

  • Ser você mesmo, sempre.

Em pleno século 21 e, infelizmente, muitas vezes não podemos ser nós mesmo! Oiii? Triste realidade, porém, tem muitas garotas que viver fingindo ser quem não é – para tem tanta agradar os outros e até mesmo fazer parte de um determinado grupo. Por si só, esse é um dos primeiros conselhos para se tornar uma garota forte. Comece dizendo adeus ás suas neuras com o corpo, aparência e a sua personalidade, basta você se aceitar como é. Assim, você vai aumentar a sua autoestima e, de quebra, ainda ajudar uma amiga a fazer o mesmo também. Então, começa um círculo de sororidade e quanto mais às garotas se aceitam, mais padrões de beleza impostos pela sociedade cair por terra. Consequentemente, mais meninas vão aceitando o próprio corpo, personalidade e também o espelho. Não é incrível? <3

  • Você pode ser tudo que quiser.

Se empoderar é mais simples do que você pensa! Duvido quem nunca ouviu essa frase: “você é uma garota não pode fazer isso?” Se tem uma coisa que a gente pode, é poder!  Podemos ser astronauta, CEO, médica, presidente, pilota de avião e todas profissões existentes. Pois somos capazes de exercer qualquer carreira que desejamos e de maneira nenhuma deixar alguém oprimir desejos e planos otimistas. Somente mantenha o foco e acredite no seu potencial.

  • Unidas somos fortes

Garotas unidas jamais serão vencidas! \o// Segundo muitas pessoas afirmar que nos garotas, na realidade, vivemos competindo umas com as outras. Sabemos que isso não é verdade, mas que, às vezes, isso infelizmente pode acontecer. O certo é que, paramos de ver as outras garotas como inimigas, não podemos deixar de cultivar a sororidade entre nós. Todas têm um brilho único, mas, o céu ficar ainda mais encantado com dias estrelados, certo? Afinal, quanto mais unidas brilharemos ainda mais! E assim, vamos aprendendo, crescendo e nos fortalecendo. Por esse motivo, temos que ser sempre aliadas. Juntas, vamos longe!

É tão incrível ver que as garotas está cada dia mais interessadas neste tema, não é? Ah, vale lembrar que, atualmente, a artista que mais representa e reforça o girl power é a Beyoncé, na sua constante luta a favor do feminismo. E aí, está preparada para todo este poder? Let’s go, girls!