Seis músicas da Dua Lipa para adicionar aos seus favoritos

Se você ainda não conhece a Dua Lipa, trate de conhecer agora! Ela é uma cantora, compositora e modelo inglesa de origem albanesa. Como a filha de um músico, Lipa cresceu rodeada pela música. Sua carreira musical começou aos 14 anos, quando ela começou a fazer covers de músicas de artistas como Christina Aguilera e Nelly Furtado no Youtube. Em 2015, ela assinou com a Warner Bros e lançou seu primeiro single.

Atualmente com seus 22 anos, estreando seu álbum autointitulado com o seu próprio nome. Dua é uma das grandes apostas da música pop contemporânea, que vem conquistando cada vez mais espaço com suas letras e ritmos contagiantes. Provavelmente você já ouviu algum hit, só não sabia que era dela. Duvida? Então continue lendo para saber mais sobre ela e também para você dançar e cantar muito! Ouça só:

Em agosto de 2015, Dua lançou seu primeiro single autoralNew Love, produzido por Emile Haynie (conhecido por trabalhar com Lana Del Rey e Bruno Mars) e Andrew Wyatt (Miike Snow e Florence + The Machine). O vídeo já acumula mais de 15 milhões de visualizações no YouTube. O sucesso da música também fez com que a cantora figurasse na lista BBC Sound of 2016, da rede britânica. Aliás, o clipe não é cheio de efeitos visuais, mas tem uma simplicidade bem legal e uma fotografia incrível.

Seu segundo single, a música “Be The One”, foi lançado em outubro de 2015 e atingiu o Top 10 em charts na Alemanha, Áustria, Reino Unido, Bélgica e Suiça. O videoclipe da faixa já possui mais de 100 milhões de visualizações no YouTube. Lipa ainda disse que “Be The One” é a única faixa do álbum que não escreveu “[mas] eu não poderia descartá-la; é uma de minhas favoritas.”(é a minha preferida também). O refrão, sem dúvida, é o ponto máximo e vai ficar por alguns dias na sua cabeça (e será prazeroso, acredite).

Mas é em “Hotter than Hell” que ela aposta com mais força a sua chegada triunfal ao cenário fonográfico. De que forma? Investindo no estilo que vem contagiando todos nós há alguns meses, o tropical house. Dua Lipa surge maravilhosa em um barracão na companhia de amigos. O tom monótono é puro disfarce, enquanto a artista suplica pela atenção do amado.

Canção que se tornou sua primeira entrada na parada Hot 100, da Billboard norte-americana. A faixa ainda culminou a parada Dance Club Songs. Tendo o vídeo filmado em torno da arquitetura de Londres, o clipe conta com Dua Lipa e seu esquadrão feminino em meio a skates, casacos, cartazes e uma vibe ativista positiva. Há inclusive placas em que promovem a candidatura fictícia da cantora para presidente, além de uma referência a Meninas Malvadas com um “You Can’t Sit With Us”.

E como todo bom cantor, começou a fazer partições, como essa musica do Martin Garrix. O DJ tem a sorte de ter chamado Dua Lipa, que transformou a canção por meio de sua voz grave e sua personalidade que já conhecemos bem.

“New Rules” é uma canção derivada dos gêneros tropical house, EDM e electropop cuja instrumentação incluiu o uso de bateria e trompa. Liricamente, apresenta Lipa indicando uma lista de regras para terminar com um ex-namorado. E o vídeo traz toda essa temática: para esquecer o boy, Dua conta com a ajuda de várias amigas que passam a dar “novas regras” em sua rotina. O resultado ficou bem teatral, com cenas bem marcadas e com uma coreografia genial e impecável, contando coma uma sororidade feminina. New Rules não tinha como dar errado, né? E no final, Dua aprende a lição e passa a ensinar essas regras para outra amiga.

Em algumas entrevistas Lipa, disse: “Tive altos e baixos tentando me encontrar”, disse ela sobre o processo de descobrir o seu som… “Você tem que trabalhar muito, muito duro – não apenas para a música, mas para qualquer coisa que você faça na vida”, Lipa disse sobre o seu vir-a até a estrela pop. “Eu não acho que ter uma carreira como esta em meu alcance”, ela continuou. “Não há descanso para os maus. Sonhos tornam-se realidade”, ela diz na última linhas do documentário, sabendo que isso é apenas o começo.

E aí, curtiu o som dela? Já tinha ouvido algumas dessas músicas? Então vamos torcer para que venha muito mais hits bons por aí!

Girl power: filmes de empoderamento da minha infância

Na minha infância não se falava muito de empoderamento feminino – para falar a verdade esse tema começou a ser discutido de alguns anos para cá! Ainda bem, né?! Porém, esses dias atrás eu comecei a pensar que o empoderamento feminino sempre esteve presente na minha vida. Sim, principalmente nos filmes, a parte incrível de ter crescido no começo dos anos 2000 é que eu tive a oportunidade de ver, quando ainda era criança, filmes adolescentes e comédias românticas com protagonistas legais! Essas garotas mostraram que eu não tinha que seguir estereótipos e, por conta disso, acabaram inspirando uma geração de garota. Elas não vai ser a representação perfeita ou um resumo do feminismo, mas todos tem um quê de girl power! 

  • Mulan

Mulan é uma das minhas princesas favoritas! Uma heroína que resolveu ir no lugar do pai para lutar na guerra. Ela sabia que não era fisicamente tão forte (ainda haha) quanto os outros soldados, então ela usou sua mente fantástica para encontrar outras formas de completar o treinamento. Ela sabia que dependia dela, e só dela, provar que era capaz. E ela conseguiu. Mulan poderia ter desistido facilmente. Ninguém acreditava nela. Ninguém levava ela a sério. Mas ela não desistiu.  Isso é algo que todos almejam, e Mulan nos inspira a continuar almejando. Ela é mais do que um simples desenho — ela é uma verdadeira guerreira.

  • Ela é o Cara

Quem na infância não foi proibida de fazer “coisas de garotos”? Na época do ensino fundamental, as meninas não podiam jogar futebol, então, eu e as minhas colegas de classe fizemos um abaixa assinado com assinaturas dos pais. E o filme “Ela é o Cara”, que fez a gente ver que não poderíamos aceitar tais regras do colégio. Aliás, a história é de Viola, joga no time feminino de sua escola, mas descobre que a equipe será fechada e deixará de existir, para a sua infelicidade. Em uma situação com poucas soluções, finge ser o irmão para poder jogar e vive uma vida dupla. Ela mostrar que precisamos lutar pelo que sonhamos.

  • Meninas Malvadas 

“Chamar alguém de gordo não vai te deixar mais magro, chamar alguém de burro não vai te deixar mais inteligente.” Uma história de padrões e como nenhuma garota se encaixa perfeitamente neles. Nós podemos tentar, mas, no final das contas, as pessoas são diferentes e aceitar isso é importante. Uma mensagem que eu precisei ouvir na minha infância.

  • As Patricinhas de Beverly Hills

Cher talvez seja a primeira personagem do cinema a ter uma verdadeira squad – e, quem sabe, se tornou a inspiração de Taylor Swift por causa disso. Ao lado de Dionne e Tai, ela faz o possível para lidar com a imaturidade dos garotos do colégio e os ônus e bônus de ser uma garota rica de Beverly Hills. Cher Horowitz não liga pros haters, pra garotos pegajosos nem pra quem acha que ela é burra.

  • Legalmente Loira

Estrelado por Reese Witherspoon, Legalmente Loira conta a história de Elle Woods, uma loira super popular que foi dispensada pelo namorado, que a achava fútil demais. Para provar seu valor para o ex e reconquistá-lo, ela se matrícula na Universidade de Direito de Harvard, porém – conforme vai entrando no mundo da advocacia – ela percebe que não precisa provar nada para ninguém.

  • 10 Coisas que Eu Odeio em Você

E, para finalizar, com um dos clássicos do cinema! Nos traz algumas visões de ideais feministas, principalmente através de Kat, personagem interpretada por Julia. Kat Stratford representa a rebelião, tanto em termos de estilo quanto em sua existência. Ela não é o que as pessoas esperam que ela seja. Ela arranca pôsteres do baile de formatura das paredes da escola, feminista e não liga para o que seus colegas de escola pensam a seu respeito.

Terminei esse post com vontade de assistir de novo todos esses filmes! Até porque, te inspirações de girl power nunca é demais! E aí? Também se identificou com algum desses filmes? Contem pra gente o que acharam nos comentários? Beijos e you go girl! <3

Girl Power: como se tornar uma garota forte?

Esse é um assunto que está sendo bastante comentado hoje em dia. Provavelmente, você já ouviu falar de Girl power, certo? Na tradução literal do que é girl power, está ligado ao poder feminino: na sua independência, sua autossuficiência, e aos ideias de ser autêntica e da autoestima elevada. Esse título girl power é muito aliado á mulher que usa de sua voz, suas canções, seus textos ou seus discursos para reafirmar o papel da mulher na sociedade e mostrar que sua posição é importante. São independentes e igualitárias, que sejam, donas de si e que tenham autonomia de estilo de vida e também da sua sexualidade.

O termo representa um fenômeno cultural da década de 1990 e início de 2000 e está também ligada a terceira onda do feminismo. Tornou-se popularizado pelas Spice Girls em meados da década de 1990. A ideia das meninas foi mostrar a força que a mulher tem na sociedade, além de reforçar suas influências culturais. Assim começou se popularizar a revalorização da força que a mulher tem na sociedade. Inclusive, essa foi uma das formas de fazer críticas a opressão que as mulheres receberam ao longo dos tempos. Esse é um tema bem complexo, aliás, precisaríamos de mais posts para falar sobre esse assunto. Só que hoje o foco é como se tornar uma garota forte, talvez, você só precisar de um empurrãozinho. Neste post, listei algumas iniciativas muito importantes: Vamos lá?

  • Ser você mesmo, sempre.

Em pleno século 21 e, infelizmente, muitas vezes não podemos ser nós mesmo! Oiii? Triste realidade, porém, tem muitas garotas que viver fingindo ser quem não é – para tem tanta agradar os outros e até mesmo fazer parte de um determinado grupo. Por si só, esse é um dos primeiros conselhos para se tornar uma garota forte. Comece dizendo adeus ás suas neuras com o corpo, aparência e a sua personalidade, basta você se aceitar como é. Assim, você vai aumentar a sua autoestima e, de quebra, ainda ajudar uma amiga a fazer o mesmo também. Então, começa um círculo de sororidade e quanto mais às garotas se aceitam, mais padrões de beleza impostos pela sociedade cair por terra. Consequentemente, mais meninas vão aceitando o próprio corpo, personalidade e também o espelho. Não é incrível? <3

  • Você pode ser tudo que quiser.

Se empoderar é mais simples do que você pensa! Duvido quem nunca ouviu essa frase: “você é uma garota não pode fazer isso?” Se tem uma coisa que a gente pode, é poder!  Podemos ser astronauta, CEO, médica, presidente, pilota de avião e todas profissões existentes. Pois somos capazes de exercer qualquer carreira que desejamos e de maneira nenhuma deixar alguém oprimir desejos e planos otimistas. Somente mantenha o foco e acredite no seu potencial.

  • Unidas somos fortes

Garotas unidas jamais serão vencidas! \o// Segundo muitas pessoas afirmar que nos garotas, na realidade, vivemos competindo umas com as outras. Sabemos que isso não é verdade, mas que, às vezes, isso infelizmente pode acontecer. O certo é que, paramos de ver as outras garotas como inimigas, não podemos deixar de cultivar a sororidade entre nós. Todas têm um brilho único, mas, o céu ficar ainda mais encantado com dias estrelados, certo? Afinal, quanto mais unidas brilharemos ainda mais! E assim, vamos aprendendo, crescendo e nos fortalecendo. Por esse motivo, temos que ser sempre aliadas. Juntas, vamos longe!

É tão incrível ver que as garotas está cada dia mais interessadas neste tema, não é? Ah, vale lembrar que, atualmente, a artista que mais representa e reforça o girl power é a Beyoncé, na sua constante luta a favor do feminismo. E aí, está preparada para todo este poder? Let’s go, girls!