Solidão

tumblr_nnruxgCdW21ts1n9no3_540Sentou-se na janela e ficou observando as pessoas que passavam pela rua. Umas sorrindo, outras discutindo e muitas sozinhas. Tomou mais um gole de café. O vento frio batia em seu rosto e fazia queimar. Mas nada doía tanto que a solidão daquela casa. Ali era o único lugar que sentia-se acompanhada. Olhava para as pessoas e tentava desvendar o sentimento de cada uma delas. E sabia que cada uma tinha algum sentimento que queria esquecer.

Respirou fundo e pegou o celular, não havia nenhuma mensagem nele. Olhou dentro do quarto (sem sair da sacada da janela) viu que o silêncio era assustador. Não havia vestígio nenhum daquele que um dia ela amou. Doía! Porém, tinha que aprender a conviver com aquela ausência. Na vida às vezes, temos que abrir mão de um amor, por um sonho ou por um erro cometido. De uma forma difícil, essas escolhas fez doe cada fibra do seu corpo.

O anoitece ia deixando a rua ainda mais vazia. Sentiu um amargo no estômago. Estava ainda mais solitária. Não tinha nem mais os desconhecidos passando na rua, para imaginar o que acontecia na vida deles. Não tinha ninguém pra lhe ouvir, tantas coisas queria dizer. Poderia conversar com as paredes ou quem sabe o seu vizinho do lado, que havia perdido a esposa (depois de 50 anos casados), ele sempre falava o tanto que a amou, até mesmo quando encontrava-se no corredor do prédio. Mas não naquela noite, porque era apenas, ela e a solidão.

Deitou a li mesmo no chão e adormeceu. O quarto estava vazio e sombrio, ali era o único lugar mais aconchegante, até mesmo, com todo o frio que estava fazendo. Porque lá dentro, se encontrava a solidão: que doía e sufocava, até mais do que, qualquer dia de inverno.


Comentar via Facebook

Comentário(s)

3 comentários sobre “Solidão

  1. Carol Justo disse:

    Incrível como esses post descreve uma parte da minha vida. Quanto mais eu me afundava mais atraia coisas ruins pra mim, é post nostalgicamente triste, mas muito poético, parabéns

  2. Clara Rocha disse:

    Uma cena que poderia me definir em alguns momentos. Exceto pelo fato de que eu até gosto um pouco dessa solidão. Tenho medo é de um dia gostar tanto ao ponto de não conseguir mais estar com alguém. Ainda bem que meu namorado, respeita esses meus momentos de silêncio e afastamento.

Deixe uma resposta