É amor

comportamento-texto-inspiração-1

Passei meu batom vermelho, aquele que não usava a um bom tempo com receio por chamar atenção para os lábios. Na época do colégio ouvia muitos cochichos de que vermelho não combinava comigo, não realçava meu tom de pele.  Talvez foi por isso que eu parei de usar. Cresci e amadureci e parei de dar ouvidos ao que as pessoas falavam. A garota do meu lado no espelho ficou observando enquanto tirava o excesso – ela balbuciou algo que não consegui ouvir, mas acho que foi “que cor bonita!”, dei um leve sorriso e agradeci.

Entro correndo para dentro daquele prédio tão alto. – Droga, dez minutos atrasada! Fiquei pensando o que pode acontecer no mundo em dez minutos “pode cair um meteoro e o mundo acabar”, chega de teorias e pensamentos dementes. Tentei entrar na sala de redação sem fazer nenhum barulho. De nada adiantou, o redator chefe levantou a cabeça sobre a mesa e ficou observando enquanto eu sentava. Malditos sapatos. Tão estranho, ele era três anos mais novo do que eu para ser meu chefe, a maioria são anciões e nem um pouco atraente. Ele era atraente até demais, parecia um garoto recém-formado na faculdade. Seu cabelo castanho, cor dos olhos de um verde vibrante e o sorriso dele era encantador – apesar de não sorrir muito. Eu gostava de pode observar cada detalhe nele.

Na minha época de escola eu evitava o máximo de se apaixonar por um colega de classe, tinha medo que não poderia dar certo. Colocava na minha cabeça que era paixonite, coisa de adolescente, mas com ele era diferente…, era amor.

Quando me dei conta eu estava sorrindo e meu melhor amigo me olhava sem entender nada. Vi que ele também estava me olhando com a sobrancelha arqueada, me deu vontade de enfiar a cara no chão. Ouvia burburinhos que ele tinha uma queda por mim – nunca dei ouvidos. Mesmo se fosse verdade, nunca me sentia segurar suficiente, as estagiárias eram tão lindas, parecia até que tinha saído de um comercial de tv e todas sempre queria chamar sua atenção, ele não dava atenção para nenhuma delas. Isso me deixava muito feliz, eu gostava de imaginar que ele sentia algo de especial por mim.

Todos os meus colegas já estavam indo embora. Eu ainda estava terminando de editar aquele texto – maldito dez minutos. Quando levantei meus olhos ele estava caminhando em minha direção segurando um botão de rosas. Meu coração palpitava, sentia como se o sangue do meu rosto esvaziasse.

– Eu gosto muito de você, desde a primeira vez que te vi senti algo diferente. Tentei menti que não era nada de especial. Só que esse sentimento vem me sufocando cada vez mais. Poderia dizer que eu gosto de você, mas eu nunca senti isso antes, é algo tão estranho que não cabe dentro de mim, acho que é amor, acho nada, eu tenho certeza. E onde você chegar traz paz, pelo menos eu me sinto assim. Eu amo o teu sorriso e gosto do jeito que você ver a vida, com uma serenidade que poucos têm. Quero pode fazer parte do seu mundo, e você fazer parte do meu.

E depois, me deu aquele botão de rosa, e em seguida, disse: Você é diferente de tudo que um dia eu amei. Agradeço ao universo por ter colocado no meu caminho. E essa rosa vai combinar com a cor do seu batom. Segurei aquele botão tão bonito, não me lembro de quando ganhei uma rosa – é, nunca ganhei uma. Ela era tão delicada e de um vermelho intenso. Sentir como se fogos de artifício explodisse dentro de mim.

Naquele momento eu tinha certeza que era amor, é amor, e sempre será amor.
Então, não aguentei e uma lágrima escorreu dos meus olhos.
E ele enxugou com a ponta dos dedos.


Comentar via Facebook

Comentário(s)

8 comentários sobre “É amor

  1. Maly disse:

    O amor é lindo quando é puro assim, né? Principalmente quando surge de platonismo… Essa primeira fase de expectativas, se ele gosta ou não gosta… Demais!

  2. Duane disse:

    Ai que texto mais meigo, amei! Muito simples e ao mesmo tempo complexo, afinal amor é assim mesmo, as duas coisas ao mesmo tempo.
    Beijos.

    http://www.claramenteinsana.com/

  3. Patricia disse:

    Amei o texto muito lindo haaaa o amor! Bjs
    http://www.maniasdapatty.com

  4. Jennyfer A. disse:

    Ameii,muito fofo,esses amores que surgem do nada para se tornar tudo 😀
    Muito bom mesmo 🙂
    Beijos ^.^
    Jenny,Little Wonders (littlewonderscrm.blogspot.com)

Deixe uma resposta